Resenha | Da Vinci's Demons


Eu já era fã das séries da Starz antes de American Gods. Por exemplo, Spartacus e Black Sails (leia resenha aqui), são shows maravilhosos com o pacote completo: um roteiro bem feito, cheio de nuances e diferentes perspectivas, diálogos primorosos e uma fotografia de partir o coração. Dito isso, eu gostaria de apresentar Da Vinci’s Demons. O show é descrito como uma fantasia histórica e tem três temporadas. Foi escrito e dirigido por David S. Goyer, e traz Tom Riley como Leonardo Da Vinci. Sim, você leu certo, é uma série sobre um dos pintores mais famosos de todos os tempos. Mas essa não é a temática em questão. Leonardo, além de pintor, é um cientista e um inventor. Ele idealizou e projetou muitas máquinas e aparatos diferentes, desde algo que pudesse voar até máquinas de destruição bem poderosas.

Qualquer coisa que possa ser sonhada, eventualmente pode ser construída.
Qualquer um que diga o contrário é um tolo.

Este engenheiro criativo é o nosso protagonista. Mas a temática da série é um tanto mais mítica e misteriosa. Nós somos apresentados, assim como Da Vinci, a um universo cheio de enigmas, conspirações e sociedades secretas. O show coloca em tensão a ciência e a fé através da introdução dos Filhos de Mitras na vida do inventor. Em sua busca interminável por respostas relativas ao paradeiro de sua mãe, Da Vinci toma conhecimento sobre essa “organização”. Ele fica obcecado com a quantidade de respostas que os Filhos de Mitras prometem. Assim começa sua busca particular, enquanto sua Florença está passando por maus bocados. Os Medici precisam de ajuda, enquanto se veem diante de questões mal resolvidas com o Vaticano.


Girolamo é o antagonista da série, representando, não apenas a ameaça iminente do Vaticano, como também um problema direto ao protagonista, pois fica enredado na mesma busca por respostas que Da Vinci. Aqui rola uma relação de “oposição é verdadeira amizade”, como diria Blake. Não consigo pensar em melhor descrição.


A série tem muitos elementos que a primeira vista parecem doidos. Os próprios Filhos de Mitras são um exemplo disso. Mas, com uma pesquisa rápida, podemos descobrir que tudo isso existiu. Os criadores da série apenas exploram coisas maravilhosas que a história tem a nos mostrar. Se você gosta muito de história e quiser saber o quanto da série tem ou não fundo de verdade, pode conferir esse artigo aqui.

Caso queira ver o trailer da série dê uma olhadinha no vídeo abaixo.


E para encerrar este texto, gostaria de mencionar a abertura da série, que é um show por si só. A trilha para este momento foi criada para que pudesse ser tocada de trás para frente e gerasse o mesmo resultado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário