Review | Outlast 2 (PS4, XBox One, PC)


Seguindo os passos de Amnesia, Outlast se tornou um fenômeno após seu lançamento em 2013, usando conceitos inovadores e exclusivos em um game de horror ambientado em um manicômio, no controle de um jornalista munido apenas de sua câmera, na intenção de registrar crimes e abusos no local. Com um game inovador e icônico, era de se esperar por uma sequência, que não demorou a ser confirmada, chegando com alguns meses de atraso.


Em Outlast 2, o jogador entra no papel do jornalista Blake Langermann, que se separa da esposa Lynn durante uma investigação envolvendo uma mulher grávida no deserto do Arizona. Como no game original, a investigação fracassa, e Blake se vê perdido em um local controlado por uma seita religiosa dividida por seguidores cristãos e satanistas.


Em uma vila, o jogador se encontra com fanáticos extremamente violentos. A única maneira de evita-los é fugir ou esconder-se em barris, debaixo de camas, armários e tanques de água usados para alimentar animais. O uso da câmera é primordial, sendo que maior parte do game se passa em locais escuros e a visão noturna deve ser ativada. A câmera agora possui função de microfone, podendo ouvir sons de longe. Tais funções consomem bateria, obrigando o jogador a explorar cada canto para encontrar pilhas.


Durante o processo, Blake acaba testemunhando crimes bárbaros, como sacrifícios de bebês ou abortos em mulheres inocentes, para que o nascimento do filho do mal seja evitado. Como no título anterior, o game não poupa o jogador de momentos de extremo horror e violência, com cenários repletos de sofrimento, corpos e bebês mortos. Em momentos de suposta calmaria, há um clima pesado, dando a impressão de que Blake está sendo observado ou seguido, com uma trilha sonora densa. Jump scares ocorrem com frequência, sendo impossível ficar relaxado em qualquer circunstância enquanto se joga Outlast 2


Blake encara vilões e criaturas bizarras no caminho, mas nenhum deles é mais macabro que Sullivan Knoth, reverendo que lidera o culto. Em certas ocasiões é possível ouvir a voz de Knoth por auto-falantes instalados em uma igreja, gritando versos horríveis extraídos da própria Bíblia Sagrada. Outros vilões possuem diferentes personalidades, e o jogador precisa encontrar meios para esconder-se e fugir.


Outlast 2 é um título mais linear que o primeiro, e acaba tornando-se repetitivo em certos momentos. A função do jogador é basicamente investigar locais da vila, interagir com alguns personagens, fugir de vilões, viver o pesadelo na escola, e o ciclo se repete, tendo de fazer tudo novamente. Há momentos em que o jogador falha sem saber o porquê, morrendo e começando do último checkpoint, e acaba morrendo repetidas vezes sem ter noção do que deve ser feito. Problema que não ocorre com frequência, mas irrita.

Por sorte o game possui um bom roteiro, que é explicado ainda melhor ao ler documentos encontrados na vila, e registros da câmera durante a procura por Lynn na vila e nas sessões na escola. Os registros podem ser acessados, tornando a experiência um tanto confusa, sendo que as filmagens na escola permanecem gravadas na memória da câmera, levando a crer que Blake realmente estava lá.


Veredicto


O roteiro de Outlast 2 é profundo e macabro até o limite. O mistério do desaparecimento da esposa Lynn e do culto religioso naquele fim de mundo se unem a acontecimentos do passado de Blake enquanto estudava na misteriosa escola em que se depara durante a procura pela esposa. Vilões e habitantes hostis o perseguem em um local repleto de corpos de pessoas e bebês sacrificados em rituais, sem falar dos jump scares que, mesmo aparecendo com frequência, não tornam o clima de horror uma piada. Todos os elementos juntos entregam uma atmosfera densa à obra. O gameplay está um tanto inferior ao do primeiro, especialmente à expansão Whistleblower, que é maior e melhor que o próprio título original, mas Outlast 2 cumpre com louvor a tarefa de expandir o universo de um dos maiores clássicos do horror na atual geração de games. E para a alegria dos fãs mais assíduos, ou de quem ainda não jogou o primeiro título com sua expansão, Outlast Trinity é a versão física do game que acompanha Outlast, a expansão Whistleblower, e Outlast 2.

Nota: 8,0

Ficha Técnica
Título: Outlast 2
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One e PC
Produtora: Red Barrels
Distribuidora: Warner Bros. Interactive Entertainment
Lançamento: 25 de abril de 2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário