Resenha | Dirk Gently's Holistic Detective Agency




Eu te desafio a assistir o primeiro episódio e entender qualquer coisa. É sério! Não faz o menor sentido. Acontecem coisas aleatórias e bem problemáticas com vários personagens aleatórios e bem problemáticos. Essas coisas parecem não muito importantes, embora muito interessantes. Pode ser sobre um grande mistério ou vários pequenos mistérios interligados – ou não. Enfim, assista e você vai entender.


Ok, vou tentar ser mais precisa. Todd (Elijah Wood) tem uma vida absolutamente desinteressante. Ele trabalha num emprego do qual não gosta e que não é muito recompensador. Seu chefe o manda conferir um dos quartos do hotel, mas, ao subir lá, ele se depara com duas coisas estranhas: uma cena de crime e... ele mesmo. Mas é isso, a vida segue. Todd é interrogado e depois demitido. Em casa, outra coisa estranha acontece. Dirk (Samuel Barnett) aparece invadindo seu apartamento e dizendo que os dois precisam investigar o tal crime, pois essa é a vontade do universo.

Enquanto isso, vários outros personagens são desenvolvidos em paralelo. Bart (Fiona Dourif), por exemplo, é uma assassina holística. Isso significa que ela mata aleatoriamente quem ela acha que deve morrer. Basicamente, todo mundo que cruza seu caminho. Outra personagem de destaque é a Farah (Jade Eshete), uma segurança particular muito badass, que tem sérios problemas de paranoia. E também tem a Amanda (Hannah Marks), minha preferida. Ela é a irmã mais nova do Todd, é uma baterista muito perceptiva, com uma doença extremamente rara que a impede de sair, trabalhar e, basicamente, de viver.


Vale mencionar que a série é baseada nos livros do Douglas Adams e que já existia uma série mais antiga de mesmo nome também baseada nos mesmos livros. Eu não vi a série antiga e nem li os livros ainda, mas, segundo minhas pesquisas rápidas na internet, é tudo bem diferente.


Para mim, Dirk Gently tem um tom muito Doctor Who. Os personagens meio que vão se enredando em uma série de eventos caóticos e estranhos. A série tem uns momentos bem bobos e engraçados e também uns bem violentos que me deixaram de queixo caído. É uma montanha russa de acontecimentos. Com certeza, é uma série que eu recomendaria. E eu reforço: não tente entender os primeiros episódios. Apenas sente, relaxe e aproveite a série.


Nenhum comentário:

Postar um comentário