Wargames e Miniaturismo: Um prelúdio do hobby


Amigos leitores, fazia tempo que eu estava me enrolando para lhes apresentar o que considero o maior dos meus hobbies, aquele qual me ocupa horas e horas de tempo livre, possui uma parcela considerável de meus rendimentos mensais dedicados e que me traz tanta satisfação em todas as suas etapas de apreciação.

Estou falando de Miniaturismo! De procurar a miniatura perfeita, compra-la e reclamar do preço, de aguardar sua chegada pelo correio e protestar contra a demora, montar suas peças e reclamar da complexidade e dos dedos colados por Super Bonder. Estou falando de pintar os detalhes e reclamar das tintas, de travar batalhas épicas contra oponentes valorosos e desaprovar as regras!

"Nossa, quanta reclamação! Nem parece que você gosta tanto assim disso aí". Pode ser, mas na verdade o que acontece é o seguinte: no final valerá a pena e todos a elogiarão. Jogar contra oponentes que tentarão derrotar sua mais nova criação e que serão derrotados perante sua estratégia superior!

ISSO É WARGAME, pessoal.


Como jogar


Partindo do princípio que você já tem suas miniaturas e sua coleção iniciada, o jogo começa com a montagem da Lista. Você e seu oponente concordam em jogar um contra o outro, em iguais termos, sendo esses refletidos por pontos, como se cada um tivesse um limite a ser alcançado para evitar casos de "minha coleção contra a sua" entre dois jogadores, um veterano e um iniciante. Cada adição de tropas, generais, tanques, monstros, robôs, criaturas etc, que são incluídos na sua lista custam determinada quantidade de pontos conforme o seu poder. Unidades mais fortes custam mais caro e são mais versáteis ou portam armas mais poderosas, as mais fracas e unilaterais tem seu preço reduzido em contraste.

Na montagem da lista você já determina que tipo de jogo você quer jogar. Se você gosta de batalhas rápidas, com assaltos surpresas e investidas devastadoras, certamente isso irá se refletir nas unidades que comprou (que provavelmente serão unidades móveis como cavalaria, ou infantaria motorizada). Em outro espectro, você pode preferir jogar o "jogo das trincheiras" e escolher unidades defensivas, pesadas e que se recusam a ceder um centímetro sequer de terreno para seu oponente. Normalmente falanges, tanques de batalha e bastiões são escolhidos. Existem milhares de estilos de jogo e eu jamais poderia definir ou detalhar todos eles aqui.

Tendo as listas montadas, você e seu oponente se encontram na data e local marcado, montam o campo de batalha conforme as regras e usufruem de 2 a 5 horas de diversão estratégica, onde um tenta derrubar as miniaturas do outro, conquistar objetivos primários e secundários e se tornar o vencedor daquela partida. Tudo isso sendo equilibrado na sorte dos dados, que irão decidir cada ação tomada por ambas as partes.

Emocionante!


Antes de jogar


Para montar sua lista é preciso ter uma coleção ou só algumas miniaturas, se o jogo que você quiser for apenas uma Escaramuça (Skirmish). Essas miniaturas podem ser compradas nas lojas de seus fabricantes como novas ou usadas em sites como Mercado Livre ou Ebay. Até no Facebook é possível achar pessoas vendendo coleções antigas por preços mas acessíveis. Quando você receber suas primeiras miniaturas, o nível de adrenalina aumenta fazendo-o abrir a caixa antecipadamente para manusear aquilo que você procurou com tanto afinco. É, para muitos, uma barreira intransponível, de montar e pintar o seu exercito.

Ninguém está dizendo que você não deve jogar com miniaturas sem pintar, mas a mágica não é a mesma, acredite. Montar as peças pode ser desafiador também caso você não esteja preparado, é preciso ter as ferramentas certas à disposição para não estragar o material da miniatura que lhe custou não somente dinheiro, mas tempo de espera e antecipação. Poucas coisas são piores que uma parte da sua miniatura favorita quebrada por mau uso antes mesmo de estar montada. A seguir, algumas fotos minhas durante etapas de montagem de um novo projeto que estou tomando frente no momento:

Estilete, bisturi, Super Bonder, lima fina, miniaturas em cartelas, base de espuma, brocas etc.

Cortes na mão usando estilete. NO PAIN, NO GAIN.

Dedo com cola. Depois de um tempo você acostuma! 

Onde jogar:


O legal do Wargame é que você pode jogar, na teoria, em qualquer lugar que tenha uma mesa do tamanho necessário. Na garagem, no salão de festas e até mesmo na cozinha! O mais importante é você se divertir. Para ajuda-lo na aventura dos Wargames e do miniaturismo, o Brasil possui CLUBES DE JOGOS espalhados por todo o país. Essas pessoas não somente vão lhe ajudar no seu mais novo hobby como vão também lhe ensinar os macetes de pintura e montagem. Um grupo de amigos que de fato estarão lá para ajudar os iniciantes e instigar os veteranos à uma nova mesa de jogo ou de pintura. 

É muito comum esses clubes participarem ou criarem eventos de miniaturismo, workshops de pinturas e até mesmo Campeonatos inter-estaduais. Você participará de uma verdadeira comunidade.

A seguir, os clubes e grupos que conheço (e recomendo) do Brasil e seus contatos:




Legionários 40k (Pernambuco): https://www.facebook.com/groups/legionarios40k/ 


Warhound (Rio de Janeiro): Falar com Felipe https://www.facebook.com/felipe.castellobranco.90?fref=ts 

Clube Cuiabano de Wargames e Boardgames: https://www.facebook.com/clubecuiabanodewargameseboardgames/ 



Por fim o clube que eu participo o Tropas Polares (Curitiba): https://www.facebook.com/tropaspolares/?fref=ts 


Além disso, temos um CANAL no youtube que fala sobre Wargaming e também um PODCAST animal: 


RELOAD:

PAPODEMESA (paintingfrog):


Nenhum comentário:

Postar um comentário