As mulheres na frente e atrás das camêras


O cinema é uma forma de contar histórias, expandir sua imaginação e principalmente fazer grandes representações. As mulheres ganharam mais espaço, na frente e atrás nas câmeras, mas nem sempre foi assim. Antigamente quando se falava de uma mulher diretora, ou quem sabe uma atriz que fosse protagonista, parecia um absurdo. Os homens é que tinham destaque e achavam que a mulher era destinada a papeis específicos.


Duas grandes mulheres que mostraram seu valor no começo do cinema, Mary Pickford e Gloria Swanson, que foram essências para a Paramount Studio. Pickford foi uma das pioneiras no começo de Hollywood e também uma figura importante do desenvolvimento dos filmes de ação. Foi lançada pelo diretor David Griffith – conhecido por ¨O Nascimento de uma Nação¨ – e se tornou a atriz mais bem paga do cinema na época, fazendo mais de 200 filmes. Junto com Douglas Fairbanks, Charlie Chaplin e Griffith fundaram a United Artists, tendo a liberdade de produzir filmes como diretora, conquistando ainda mais reconhecimento. 

Swanson foi uma das maiores atrizes do cinema mudo, alcançando a fama por ¨Crepúsculo dos deuses¨, dirigida por Billy Wilder. Prestigiada também no teatro e no rádio, em 1932 passou a desempenhar apenas papeis que lhe fossem convenientes, deixando a carreira de atriz de lado para se tornar uma mulher de negócios.


Com o passar dos anos, mais atrizes foram chegando, como Lauren Bacall, Ingrid Bergman e Bette Davis, que contribuíram para a história das mulheres nas telas. Davis foi conhecida por conseguir interpretar qualquer tipo de papel que lhe era dado, de drama policial até comédia. Iniciou na profissão trabalhando para a Universal Studio, o que acabou não dando certo. Em seguida, foi chamada pelo Studio Warner Bros, tendo uma das melhores épocas de sua carreira. Davis também foi co-fundadora do Hollywood Canteen – iniciativa para angariar fundos para o Exército e entreter soldados estadunidenses durante a Segunda Guerra Mundial – e foi a primeira mulher presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Ganhou o Oscar de Melhor Atriz duas vezes, foi a primeira pessoa a receber dez indicações da Academia nas categorias de atuação, além de ter sido a primeira mulher a receber um prêmio pelo conjunto da obra do American Film Institute. Davis tem duas estrelas com seu nome na calçada da fama.

Bergman foi uma atriz sueca que fez história no cinema americano. Recebeu dois Oscars de Melhor Atriz principal e um de Melhor Atriz coadjuvante, sendo a primeira intérprete estrangeira premiada. Foi casada com o diretor italiano Roberto Rossellini, o que lhe causou um certo problema na carreira. Ambos abandonaram suas famílias para viverem juntos, e Bergman foi considerada um mau exemplo para as mulheres americanas.

Bacall viveu por mais tempo, de 1924-2014, sendo uma das atrizes mais velhas ativa na época. Por sua voz rouca e sensual, foi símbolo da moda e um grande modelo da mulher moderna. Conhecida principalmente por destacar-se no cinema noir, teve uma longa carreira não só nas telas de cinema, mas também na TV e no rádio, sendo uma das figuras mais importantes para o Studio Warner Bros.


As mulheres também são fundamentais nos bastidores, assim como foram Alice Guy Blaché e Edith Head. Uma das primeiras mulheres a ser roteirista, diretora e produtora de cinema, Blaché tornou-se importante para o desenvolvimento cinematográfico de ficção, fazendo mais de 1000 filmes ao longo de sua carreira e sendo a primeira a usar técnicas que influenciaram Alfred Hitchcock.

Head era encarregada dos figurinos e todos os diretores e artistas queriam trabalhar com ela, sendo mais recorrente nos filmes de Alfred Hitchcock. Foi a figurinista e mulher mais premiada pela academia, com 35 nomeações e oito vitórias. Em 2004 serviu de inspiração para a personagem Edna Mode na animação Os Incríveis.

Na mesma época temos Hattie McDaniel, a primeira atriz negra a ganhar um Oscar, levando o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante em 1940 pela personagem Manny em E o Vento Levou. Hattie também cantava e era performer de rádio. Sua carreira lhe rendeu duas estrelas na calçada da fama, uma pela sua contribuição ao rádio e outra pelo seu trabalho no cinema.


Agora avançamos no tempo com grandes influencias do mundo moderno, com Meryl Streep, Sigourney Weaver e Sherry Lansing servindo de grande inspiração para mulheres de hoje. Depois de iniciar sua carreira como atriz, Lansing decidiu seguir novos rumos e conquistou o cargo de CEO da Paramount, onde produziu grandes sucessos como Coração Valente, Patricinhas de Beverly Hills e Forrest Gump. Atualmente ela é Presidente de produção da 20th Century Fox e a primeira mulher a liderar um dos grandes estúdios de Hollywood.

Weaver e Streep andaram na mesma época, uma na carreira mais romântica e outra em filmes de ação e ficção. Weaver foi muito importante na representatividade feminina ao interpretar a personagem Ripley na ficção Alien, o 8° Passageiro. Mesmo em uma época onde era muito difícil a nomeação de filmes de ficção, o longa lhe rendeu uma indicação ao Oscar como melhor atriz.


Streep é considerada uma das atrizes mais talentosas da história do cinema. Dona do recorde de maior número de nomeações ao Oscar com 19 indicações, sendo vitoriosa três vezes, e ao Globo de Ouro, onde foi indicada em 24 edições, levando a estatueta para casa em 7 delas.


Na atualidade, temos também grandes diretoras por trás de grandes filmes, como Kathryn Bigelow e Sofia Coppola, que revolucionaram o cinema atual, mostrando que uma mulher sabe muito bem o que fazer com uma câmera.

Em 2010,  Bigelow foi a primeira mulher a ganhar o prêmio de Melhor Diretor no Oscar, Bafta e Directors Guild Awards, pelo filme Guerra ao Terror. Já Coppola não é conhecida apenas pelo seu sobrenome, – sendo filha de Francis Ford Coppola – é a criadora de grandes produções, como Encontros e Desencontros e Maria Antonieta, que lhe renderam indicações não só para prêmios em festivais, mas também ao Oscar, como Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Original.


Natalie Portman, Scarlett Johansson, Reese Witherspoon e Amy Adams são outras atrizes que são referência no cinema Hollywoodiano contemporâneo.

Começando com Portman, que começou sua carreira ainda na infância com uma personagem muito forte em O Profissional, o que lhe abriu as portas para ser chamada para filmes de Woody Allen, Tim Burton e Michael Mann. Chamou a atenção de Hollywood como Padmé na trilogia de 2000 de Star Wars e interpretando grandes personagens em ¨Closer - Perto Demais¨ e ¨V de Vingança¨. O filme que lhe rendeu mais prêmio foi  ¨Cisne Negro¨ , ganhando Oscar de Melhor Atriz, Globo de Ouro de Melhor Atriz, Prémios Screen Actors Guild, BAFTA, entre outros. Atualmente, realizou um trabalho incrível como Jacqueline Kennedy no longa Jackie, sendo indicada como melhor atriz no Oscar. Natalie também atua como diretora e roteirista.

Johansson e Adams estão no mesmo nível e se encaixam em vários tipos de papeis. Johansson obteve destaque com o filme Encontros e Desencontros, que lhe rendeu um prêmio BAFTA de Melhor Atriz e uma indicação ao Globo de Ouro. Participou de muitos filmes independentes, como ¨Under The Skin¨, sempre apoiando novos diretores. Sua próxima aparição será como Major, em ¨Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell¨.

Amy começou começou sua carreira em 1999, no filme ¨Lindas de Morrer¨. Teve sua carreira em evidência após contracenar com Leonardo DiCaprio em ¨Prenda-me se For Capaz¨. É conhecida por muitos diretores, de filmes musicais como ¨Encantada¨, até filmes de heróis, como Lois Lane em ¨O Homem de Aço¨ e ¨Batman Vs Superman: A Origem da Justiça¨. Adams ganhou dois dos sete Globos de Ouro aos quais foi indicada, e, com ¨A Chegada¨, ficção de Denis Villeneuve e ¨Animais Noturnos¨, de Tom Ford, foi nomeada cinco vezes ao Oscar.

Popular por seus papeis no cinema, Whiterspoon ainda tem sua carreira de diretora desconhecida por muitos. Ao descobrir que ao passar dos 30 anos conseguir um papel como protagonista em um filme se torna ainda mais difícil, abriu uma produtora independente para investir em profissionais mulheres que desejam entrar no ramo cinematográfico. Ela investiu em dois sucessos, ¨Livre¨ e ¨Garota Exemplar¨, ambos com indicações ao Oscar.


Estas são só algumas das grandes influenciadoras do cinema durante várias gerações. Com personagens fortes, inspirando mulheres com suas carreiras brilhantes, gerando oportunidades e abrindo espaço para novos talentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário