Eu Quero Mais um Undertale


Pra ouvir enquanto lê - Musicão bom da preula.

Undertale


É só ler esse nome e muita gente já torce o nariz. Várias pessoas odeiam o game e por vários motivos diferentes.

Alguns, pelo mesmo motivo que vários dentro da comunidade de desenhos animados e animes, odeiam Steven Universe e Naruto - os fãs. Temos que confessar que dentro dessas fanbases específicas existe muita coisa insuportável pra quem é de fora, como o excesso de fanarts, fanfics e tudo com muito conteúdo pornográfico.

Outros detestam pelo visual. Os gráficos são uma pixel art em estilo antigo que muitos, inclusive, consideram feia e não-propositalmente ruim. Ainda há aqueles que reclamam da falta de originalidade e que existem diversos jogos derivados de Earthbound que são melhores, assim como OFF. E é claro, existem os haters, que nunca jogaram e fazem um mal julgamento do game por fazer muito sucesso e 'ainda estar na moda' mesmo depois de um certo tempo.

Mas mesmo com todos esses argumentos do lado de lá, eu afirmo que quero jogar algo que, de fato, seja o novo Undertale.


A Mecânica e as Escolhas


A história de Undertale é muito boa sim. Mas é um RPG! É obrigatório que a história envolva vários clichês com os quais estamos habituados tanto em RPG's convencionais, quanto em J-RPG's, que é onde Undertale se encaixa (mesmo que Toby Fox, o criador do game, seja americano).

Ou seja, entre random encounters de um lado, hikikomoris em mundos estranhos e milhões de itens interativos, a história não surpreende muito. A mecânica do game é que é surpreendente.

Embora essa tela de combate pareça ser super comum, acredite, não é! O sistema de combate é muito interessante. Sem querer dar spoiler, um ponto interessante das batalhas é justamente o fato de não ser como em outros jogos em que o corpo do seu personagem luta contra o corpo do inimigo. De um jeito bem subjetivo, é a sua ALMA combatendo os corpos dos monstros do game. Só isso já diferencia Undertale de qualquer outro RPG, pois se tratando de coisas tão subjetivas como alma e coração, o jogo te leva a lutas tão imprevisíveis que o nível do inimigo não diz muito sobre as suas chances de derrotá-lo, mas sim a sua personalidade.

As lutas fazem com que você preste atenção nelas! Não tem como só decorar uma série de movimentos e usar uma arma específica para derrotar um inimigo específico. Você tem que entender o personagem contra quem você está lutando para poder vencê-lo e ficar animado com a conquista, dando boas risadas com a perspicácia aplicada na batalha. Isso sem contar que a jogabilidade de Undertale é metalinguística. Basicamente, é um RPG sobre RPG's. É muito comum esse tipo de jogo conter várias rotas, finais alternativos e se basear em escolhas. Mas com Undertale é diferente.


Você pode optar por matar todos os personagens que aparecerem e terá um final X. Ou por não matar ninguém (o melhor jeito de jogar) e ter um final Y. Isso não só muda o final do game como o total entendimento que você terá da sua experiência com Undertale, com a mensagem da trama e com o que o criador da obra pensa sobre RPG's. A existência dos modos Genocida e Pacifista é o grande diferencial na mecânica de Undertale.

OFF! - RPG que veio antes de Undertale

Isso em outros games


Bom, seria injusto dizer que Undertale é o único RPG inovador do mundo. Vários jogos que modificam as mecânicas e filosofias de jogabilidade do gênero surgiram antes desse jogo, a maioria no cenário indie.

Um dos maiores exemplos é OFF! Feito no RPG Maker, ele é um jogo sombrio e assustador que também subverte o gênero de RPG, na temática e na mecânica. Acumular pontos não é o objetivo principal dele, assim como outros games excelentes. Alguns nem foram lançados ainda, mas talvez tenha sido o sucesso de Undertale que influenciou tais games. One Shot. Knuckle Sandwich. Lisa: The Painful, Costume Quest, Glitched, Omori e o Heartbound (pelo qual estou ansioso). 

Mesmo assim, nenhum desses parece trazer a sensação que me tocou ao jogar Undertale. Todos são bons, com uma experiência ótima ou ao menos originalmente notáveis. Contudo, alguns deles, principalmente nos sistemas de batalha (os que tem sistema de batalha em jogo ou revelado em trailers, ao menos) se assemelham a Earthbound e a série Mother como um todo.

Undertale nasceu como um mod de Earthbound, inclusive. Toby Fox é superfã da franquia Mother, criava mods e fazia músicas pra eles. Megalovania, que é a música que mais estourou da trilha de Undertale, foi composta por Fox bem antes pra uma mod de Earthbound. Mesmo com um pézinho nessa franquia, Undertale consegue ser original e independente na trama, mas principalmente na mecânica de combate. É um tipo de luta que quando você finaliza, perdendo ou ganhando, tem um envolvimento emocional sem igual.


Mas a sensação voltou. E não foi com nenhum dos RPG's que prometem ser o novo Undertale e nem com alguns derivados como Undertale Online (que é um Don't Forget em multiplayer) ou Undercards.

A única vez que pude me sentir de volta nesse universo foi experimentando uma fan game. Isso, as fan games tão rejeitadas por gamers e até algumas desenvolvedoras. Undertale Yellow é um prequel do game original, que narra a aventura de um dos humanos que caiu no 'underground' antes do personagem que comandamos em Undertale.

Isso não só pode trazer lágrimas aos olhos de quem conhece a história por já sabermos o final, de certa forma, como também aquecer o coração de quem estavam com saudades de Toriel, Flowey e outros. Sem contar que os inimigos e batalhas criados especialmente pra esse jogo são tão originais e tão fieis a essência dos random encounters do jogo original, que fica muito difícil de manter o pé na realidade e encarar Undertale Yellow como algo não oficial.

Por favor, Toby Fox! Oficializa isso. Nada trouxe tanto a sensação de estar jogando algo maravilhoso como Undertale quanto um fan game. E fica difícil de qualificar a função desse texto que você acabou de ler.

Pode ser um apelo emocionado de um fanático por Undertale que sente saudades do que teve no coração ao jogar o jogo? Talvez. Pode ser um texto querendo compartilhar jogos não tão conhecidos no Brasil, como OFF! e outros RPG's (inclusive, assinem o canal Core das Antigas, tem indicação pra caramba de jogo bom por lá) e os fan games de Undertale como Don't Forget, Underfell, Underswap e Determination? Pode ser também.

Eu sou alguém divulgando e enaltecendo a maravilha que é Undertale. Espero que assim como Earthbound ditou muito sobre mil RPG's que surgiram sobre sua influência, Undertale continue sendo tendência pra que eu me surpreenda com novos fan games e novos games originais.

Saber que Undertale é incrível e que sua influência pode vir a criar novos jogos tão incríveis quanto ele, me enche de determinação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário