Resenha | O Homem que caiu na Terra (Walter Tevis)


Sinopse: O Homem que Caiu na Terra tornou-se um verdadeiro clássico da literatura e uma das mais refinadas, sutis e delicadas ficções científicas já escritas. Publicado originalmente em 1963, ganhou reconhecimento em todo o planeta com a adaptação para o cinema dirigida por Nicolas Roeg em 1976. O filme também marcou a estreia de David Bowie no cinema encarnando o protagonista alienígena - para quem o papel parecia ter sido especialmente pensado (o que não foi o caso): um ser andrógino, impúbere, alto para os padrões terráqueos, delicado, magro, polido e que tenta se adaptar à vida terrestre para sobreviver entre os humanos.

Thomas Jerome Newton veio de Anthea para a Terra em uma missão desesperada para salvar os poucos habitantes que ficaram em seu longínquo e desconhecido planeta. Para isso, precisa construir aqui uma nave que possa trazer os 300 de sua espécie que ainda vivem em um planeta onde a água acabou e os recursos são cada vez mais escassos.

Com conhecimento e inteligência muito superior aos humanos, Newton logo se torna um bem sucedido empresário do ramo de patentes tecnológicas e também descobre a solidão, o desespero e o álcool - criando uma delicada parábola sobre as mudanças que estavam ocorrendo entre os anos de 1950 e o início da Guerra Fria.

Escrito com vigor e com uma prosa carregada de tensão poética, Walter Tevis produziu uma das ficções científicas mais realistas sobre um alienígena que vai absorvendo o dia a dia, o jeito e os vícios humanos pouco a pouco. Realista o suficiente para se tornar uma metáfora daquilo que todos nós carregamos: uma indescritível angústia e solidão existencial.


O Homem que caiu na Terra é um clássico que deu origem ao filme que serviu para lançar David Bowie no cinema. Confesso que ainda não assisti ao filme, e por incrível que pareça (pelo fato de ser um grande admirador de ficção científica) eu desconhecia a existência do livro.

As pessoas que conhecem o gênero de Ficção Científica mais a fundo, sabem que o gênero aborda muito mais do que seres alienígenas, naves espaciais e experiências científicas que alteram os personagens ou o mundo onde vivem. A Ficção Científica usa esses elementos para questionar a existência humana, sua influência sobre o mundo em que vivemos e várias outras questões filosóficas mais complexas.

É o caso de O Homem que caiu na Terra. Muito mais do que um livro sobre um alienígena que está perdido em nosso planeta, é uma história que fala sobre os vícios da humanidade, como a bebida, e sobre o quão perigosos podemos ser para o nosso planeta. Além de nos passar o ponto de vista de Newton (o alienígena) sobre os nossos costumes, e a sensação de solidão do protagonista por ser o único de sua espécie perdido em nosso planeta.
"Se você fosse de Marte realmente estaria sozinho”, disse Bryce, observando os patos. Se ele fosse de lá, seria como um pato solitário no lago - um migrante cansado.
“Não é preciso.”
“O que não é preciso?”
“Ser de Marte para se sentir sozinho. Imagino que você já tenha se sentido sozinho muitas vezes, dr. Bryce. Se sentido alienado. Você veio de Marte?" - Página 106
O Homem que caiu na Terra é uma leitura recomendada para todos os amantes da ficção científica e das pessoas que gostam de uma boa história com uma temática bem filosófica e necessária nos dias de hoje, apesar de o livro ser de 1963 sua temática continua bastante atual.

O Homem que caiu na Terra foi cedido pela Darkside Books ao Nerdbucks. Acompanhe as novidades da Editora:

Ficha Técnica
Nome: O Homem que caiu na Terra
Autor: Walter Tevis
Editora: Darkside Books
Páginas: 224
Onde Comprar: Saraiva, Amazon.
Adicione no Skoob

Nenhum comentário:

Postar um comentário