Review | Dark Souls III (PS4, XBox One, PC)


O quinto título do universo Souls, contando Demon’s Souls, Bloodborne, e os três games de Dark Souls, chega para os atuais consoles da geração e PC's sem muita novidade, mas expandindo o universo, aproveitando muito bem o potencial das atuais máquinas de games.

Dark Souls III herda o melhor dos dois primeiros games de RPG da From Software, como cenários majestosos entre castelos, pântanos, ruínas, esgotos, cemitérios e igrejas, atmosfera sombria e melancólica, infinitas espécies de inimigos, chefes gigantes extremamente desafiadores, sistema de evolução preciso, e especialmente um universo denso apinhado de segredos e uma história sobre reis caídos e criaturas escravizadas pelas trevas. As maiores novidades são elementos na jogabilidade e gráficos trazidos de Bloodborne, um dos melhores títulos de 2015, exclusivo para PlayStation 4.


O game não está tão difícil e sombrio quanto Bloodborne, mas a famosa dificuldade esmagadora da icônica série continua presente. É preciso passar muitas horas derrotando inimigos e recolhendo suas almas para poder subir de nível, ou comprar qualquer mercadoria vendida por alguns personagens não jogáveis. Como sempre, as almas são a moeda de troca do game, e podem ser completamente perdidas se o jogador morrer antes de gastá-las, por isso, é preciso estar ciente do que está sendo investido com as preciosas almas coletadas.

Ah, a morte. Ao entrar no mundo de Dark Souls III, o jogador aprenderá da maneira mais cruel a lidar com seus problemas. Os cenários são repletos de armadilhas e inimigos extremamente hostis muito bem posicionados, escondidos para poderem aplicar um único golpe ao jogador, seguidos da famosa tela com a frase “você morreu”. As batalhas exigem paciência e concentração, e enfrentar mais de um inimigo ao mesmo tempo, mesmo sendo dos mais fracos, é arriscado demais.


Os chefes são grandiosos, assustadores, lindos, e atrozes. Cada um deles possui uma apresentação surpresa, triunfal, e ameaçadora. A combinação entre desafio, cenários góticos, movimentação, trilha sonora de impacto, tornam as batalhas contra chefes melancolicamente poéticas. Ao se deparar com um inimigo extremamente complicado de derrotar, o jogador se vê obrigado a coletar muitas almas para evoluir, e poder enfrentar o chefe em melhores condições. Mas, mesmo estando em níveis altos, portando as melhores armas e armaduras, derrotar esses colossais inimigos exigem sabedoria sobre técnicas de combate, entender cada movimento do adversário, sendo quase impossível derrotar um chefe sem ser derrotado dezenas de vezes, aprendendo com os próprios erros. Não há como chegar à vitória e recompensa sem passar pelo caminho da dor e da derrota. A tentativa e erro para derrotar um vilão pode levar semanas tentando todos os dias, mas derrubá-los é extremamente recompensador e tranquilizante, e faz o jogador querer passar por todo árduo caminho novamente.


Jogando online, é possível contar com ajuda para derrotar chefes, e há o risco de ser invadido por jogadores a fim de levar as almas coletadas. Mas também há a possibilidade de entrar no jogo de outros jogadores, podendo derrota-los ou ajuda-los a vencer os temidos chefes. Jogadores podem deixar marcas com mensagens e avisos de ameaças próximas, e fantasmas de jogadores mortos percorrem pelo jogo mostrando como foram derrotados.


Dark Souls III estimula a exploração. Mesmo com grandes ameaças escondidas, é impossível evitar a procura de novos caminhos para encontrar cenários, itens e até chefes secretos. E são nesses locais onde se escondem os itens mais preciosos do título.

Ao terminar o game, surge a opção do New Game +, podendo repetir o game inteiro com os mesmos itens, e estando no mesmo nível ao terminar, mas com dificuldade aprimorada.


Veredicto

Dark Souls III leva a franquia à sua era de glória, com o título mais caprichado até então. Um universo riquíssimo em detalhes aguarda o jogador para uma experiência épica, que só se pode ter jogando os games da série Souls. Combates contra chefes colossais são dolorosos e desafiadores, mas tão recompensadores que desejamos passar por tudo novamente. E não se trata de masoquismo, mas de viver uma obra poética, sombria, melancólica, linda e grandiosa. Um jogo para terminar jogando por mais de 100 horas, e jogá-lo novamente.

Nota: 10,0

Ficha Técnica
Título: Dark Souls III
Plataformas: PlayStation 4, Xbox One, PC
Produtora: From Software
Distribuidora: Bandai Namco Entertainment

Nenhum comentário:

Postar um comentário