Crítica | Apanhado geral das duas temporadas de The Flash


Os universos expandidos, que tiveram inicio com Homem de Ferro lá em 2008. ganharam espaço e fama para além das rédeas da Marvel e conseguiram seu lugar na DC. No cinema esse mundo cinematográfico interligado ainda está engatinhando, porém na televisão ele já esta em crescimento desde a estréia de Arrow lá em 2012 e foi ganhando força com as adições de The Flash, Legends of Tomorrow e agora Supergirl.

Vamos fazer aqui um resumão, um apanhado geral das (até então) duas temporadas de The Flash e em seguida um post explicando melhor o Flashpoint (que finalmente irá ganhar sua adaptação na série) para aqueles que não conhecem esse grande arco da DC.

Primeira Temporada


A primeira aparição de Barry Allen foi num episódio duplo da segunda temporada de Arrow. Pouco se esperava do que poderia sair dali, mas ao mesmo tempo havia uma grande expectativa em torno da adaptação de um grande personagem dos quadrinhos da DC para a televisão, já que a primeira tentativa, lá em 1990, não teve muita sorte e a série não passou da primeira temporada.

A temporada de estreia seguiu Barry Allen (Grant Gustin) que após sofrer um acidente e ficar nove meses em coma obteve poderes, e sob a identidade do Flash começa a ajudar os cidadãos de Central City combatendo o crime na cidade enquanto tenta descobrir quem foi o homem que assassinou sua mãe fazendo seu pai ser preso injustamente. 

Mesmo com toda a expectativa em torno da série e algumas delas sendo negativas, quando ela chegou oficialmente nas telinhas rapidamente se tornou um sucesso, afinal de contas Barry Allen é um dos personagens mais queridos do universo da DC e eles acertaram em cheio no jeito que inseriram o personagem na TV.


Com um roteiro bem estruturado e uma ótima qualidade em torno da série ela rapidamente se mostrou competente e presente, tomando até mesmo o lugar de série principal no arrowverse, que é como chamamos o universo criado a partir da série Arrow. The Flash abusou um pouco da dinâmica de “casos da semana” na sua primeira temporada enquanto a trama principal entre Barry e o assassino de sua mãe caminhava em passos de bebe. 

O bom da dinâmica de vilão da semana, é que ela nos permite conhecer um grande numero de personagens e vilões saídos diretamente dos quadrinhos. Entre eles, talvez uma das maiores surpresas da temporada, foi o Gorila Grodd, que eu acreditava que não veríamos nem tão cedo na série. Um gorila gigante totalmente feito em CGI e que surpreendentemente não ficou feio, ficou incrível na verdade, levando em consideração que a CW é uma emissora de pouco orçamento.


A primeira temporada terminou deixando um ótimo arco para a segunda, que apesar dos esforços deles de fazer parecer que agora tudo iria dar errado de uma vez ele foi corrigido num passe de mágica. 

Então vamos logo à ela.

Segunda Temporada


Como eu disse o grande problemas que surgiu nos céus de Central City na season finale do ano de estréia foi resolvido rapidamente, porém as consequências dele duraram por quase toda a temporada e nos trouxe gratas surpresas para o segundo ano da serie.

A primeira e maior delas conhecemos logo no inicio do segundo ano, o dono daquele elmo que vimos anteriormente, Jay Garrick (Teddy Sears). Não posso me aprofundar demais nos detalhes desse personagem para não dar muitos spoilers para aqueles que não sabem e não viram ainda a segunda temporada, mas posso afirmar que ele surpreendeu do começo ao fim.


A inserção do multiverso na segunda temporada ocorreu de forma simples, não parecendo forçado ou se fazendo avulso em meio a tudo. A visita de Barry e Cisco à Terra-2 foi um dos melhores episódios da temporada, servindo para nos apresentar as grandes diferenças entre as duas realidades, apresentando as versões alternativas de muitos personagens já conhecidos. Dentre eles a versão malvada de Caitlin, a Nevasca e servindo para explicar o crossover com Supergirl que na época estava em outra emissora.

Não sei se The Flash continuará seguindo por esse ótimo caminho até o fim de sua vida mas esperamos que sim. A primeira temporada foi ótima, a segunda foi incrível e a terceira, com o Flashpoint brilhando no fim do túnel tem tudo para ser a melhor de todas elas e assim espero que seja, pois esse é um arco muito importante e detalhado da DC que merece ser bem representado na televisão. 

The Flash está quase ai, retornando com episódios inéditos no dia 04 de outubro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário