Resenha Tripla do filme Batman Versus Superman: A Origem da Justiça


Batman Vs. Superman, um filme que gerou uma hype imensa, finalmente chegou aos cinemas. Mas infelizmente o filme que prometia fazer o universo DC chegar com tudo nas telonas não agradou a todos. Muitas pessoas saíram do cinema amando, muitas odiando e por causa disso, hoje nós trazemos uma resenha conjunta pra vocês, para não nos prendermos a opinião de somente um de nossos resenhistas em um filme tão controverso. As opiniões serão divididas por tópicos com os assuntos mais importantes. Antes de prosseguirem, um aviso: CONTÉM SPOILERS.

Introdução do Filme

Murilo: O filme começa bem, mostra a luta entre Superman e Zod, que ocorreu no filme anterior do homem de aço. Vemos um Bruce Wayne tentando salvar as pessoas que lutam para sobreviver no meio dos prédios que caem a toda hora. O filme tem uma boa introdução, não vemos cenas desnecessárias, elas sempre são importantes pra história. Porém ele peca ao fazer com que tenhamos uma sensação de que o início é muito longo. Mas nada que estrague muito o resultado final.

Nilton: Pra mim começar em uma cena de sonho já foi um erro terrível, voltar novamente para visitar a morte dos Wayne, por mais fiel que tenha sido aos quadrinhos, foi desnecessário. Se alguém foi assistir o filme sem saber a história do homem morcego, ou é criança e definitivamente não deveria estar ali, ou passou os últimos 10 anos em uma caverna. Até quem odeia super heróis sabe que o Batman é órfão. E o resto das introduções continuou a espiral da falta de sentido. Supes é apresentado em uma cena onde sai da casa do caralho para salvar a Lois no meio da África, para depois ser acusado de assassinar uma galera, com armas. Sério? Sério mesmo? Vou parar por aqui.

Otávio: O filme Batman vs Superman claramente exagerou na sua introdução, por bem ou por mal. É evidente a necessidade de construir a trama do zero visto que o único predecessor dessa película é o filme do Superman. Não podemos considerar a trilogia de Chrostopher Nolan como prévia desse filme, são batmans diferentes e o sucesso que a trilogia teve poderia atrapalhar o entendimento e aceitação desse novo filme. Somos introduzidos principalmente a Lex Luthor e Bruce Wayne, suas histórias, ambições e planos que afetarão o desenrolar da trama e que não tiveram suas respectivas introduções no filme anterior. A primeira uma hora e meia de filme serve principalmente para estampar na cara dos fãs que o mundo escolhido pela DC é muito mais obscuro e trágico que o da Marvel, me lembrando muito da ambientação de Watchmen: onde mesmo com a presença de heróis, tragédias são inevitáveis; onde os próprios heróis tem suas índoles e motivações questionadas, pela população e por eles mesmos. Então eu entendo a necessidade do chá de cadeira que o filme serve para nós, mas honestamente não deixa de ser um chá de cadeira.


Desenrolar da Trama

Murilo: A trama caminha muito bem, a medida que ela vai se desenvolvendo, podemos notar que assim como na introdução, nós não vemos enrolação. O filme sempre vai direto ao ponto, o que é muito positivo. Apesar de ter gostado do desenvolvimento, acho que faltou uma ênfase maior entre o embate de ideais, teria sido uma coisa simples de se fazer, poderiam ter deixado o Superman falar um pouco no tribunal antes que ele explodisse, por exemplo. Assim ele poderia expor um pouco do seu ponto de vista, coisa que acabamos não vendo no filme, que foca muito na visão do Batman.

Nilton: Fraquíssimo e tedioso, pesquei três vezes durante o filme. Quase todas as questões apresentadas ficam sem resposta, a montagem de cenas não tem sentido algum, quando é para ser devagar o filme passa rápido, quando é para ser rápido o filme enrola. Snyder se perdeu feio nessa, a história é simplista porém não ajuda o espectador civil (sem conhecimento de HQs) a entendê-la e passa longe de satisfazer o fã de longa data graças a suas obviedades e falhas.

Otávio: A trama não desenrola, ela é assada no forno à lenha. A Trama não flui, ela vai enchendo devagar e de repente transborda. O inicio de toda grande saga é assim, é necessário que seja dessa forma, é importante. Minha única preocupação é que a DC tente seguir esse tipo de roteiro em todas as instancias dessa que promete ser uma série de filmes bem comprida. Um sentimento muito forte que é colocado no filme, e que é repassado para o espectador é a Angústia: pelo ritmo devagar da trama, pelas decisões dos personagens, pelos caminhos tenebrosos que o filme nos leva. Acompanhar o desenrolar desse filme é angustiante, e isso não é necessariamente ruim, certamente não é bom.

Nova Fórmula DC

Murilo: Os filmes da DC sempre usaram um tom mais sério, diferente do que os da Marvel, que são mais leves e descontraídos. Isso ficou ainda mais claro em Batman vs. Superman, além da seriedade dos diálogos e do pouco uso de piadas, podemos notar que a fotografia do filme ficou bem sombria. Eu curto esse tom que eles seguem nos filmes. Claro que para atingir o patamar ideal os roteiros ainda terão que evoluir um pouco.

Nilton: Se a fórmula DC é buscar a sombra, escuridão e realismo acho ótimo, é sempre bom ver outra maneira de explorar os heróis. Ainda mais que a fórmula Marvel chega perigosamente perto do esgotamento. Porém essa seriedade tem seu preço, quanto mais o filme se leva a sério menor é a suspensão de descrença, Ex Machinas baratos e furos de roteiro passam nos filmes da Marvel justamente por serem mais bobinhos e leves, a proposta deles é essa. Quando tua proposta é ser ancorado, teoricamente, na realidade e roteiros mais pesados tu é obrigado a ser no mínimo coeso em tudo que acontece. Batman vs. Superman passou longe nesse quesito, mas tem tempo de ajeitar.

Otávio: A DC insistiu em usar uma fórmula diferente da Marvel para sua própria série de quadrinhos-em-forma-de-filmes. Enquanto a Marvel replica a fórmula das HQ's: com histórias separadas para cada herói, depois uma nova instancia para quando estão juntos, a DC preferiu seguir um rumo mais conservador do Cinema: o de uma única história em uma linha do tempo fixa, e essa história é a da Liga da Justiça. Por enquanto essa formula ainda não deu frutos doces, visto que mesmo o filme precisando introduzir grandes personagens, no fim das contas a historia ainda gira em torno do Filho de Krypton, e isso não tem agradado muito aos espectadores e críticos descompromissados. Como a Liga da Justiça é composta por outros grandes heróis, prevejo outras grandes introduções a esses personagens e filmes igualmente longos no futuro. Minha única dúvida, e preocupação, é se esses filmes também gastarão horas de tela nesses outros personagens só para voltar ao Superman como principal atração de novo, o que é muito fiel aos quadrinhos mas entediante de se ver em uma série de filmes (seria como assistir a mesma coisa várias vezes).


Batman do Affleck

Murilo: Vou repetir uma coisa que eu falei para várias pessoas que eu conheço: Não foi o melhor filme que eu assisti com a presença do Batman, mas foi o melhor Batman que já vi até hoje. Ele demonstra a carga emocional que Bruce Wayne teve durante esses 20 anos que ele passou atuando como Batman. O pessoal criticou muito o morcego pela agressividade demonstrada, mas isso acaba sendo até um pouco realista. O Batman do filme é alguém que se preocupa muito com as baixas civis, e não se preocupa com os bandidos, isso é compreensível, visto que ele já viu a morte de um Robin (ou ele ter se tornado seguidor do Coringa, como dizem alguns boatos). Aguardo ansioso pra ver os filmes do Bats mostrando o que aconteceu em parte desses 20 anos que ele passou atuando em Gotham.

Nilton: Melhor Batman de todos os tempos. Único com uma real personalidade, motivações bacanas e uma boa atuação. Senti um pouco ele estar matando, por mais que seja realista ele matar sem consciência pesada (é absurdo pensar que Bats não matou ninguém, mesmo que indiretamente, em todos esses anos de carreira, KGBeast que o diga) perde um pouco do charme da DC, que é justamente os heróis serem infalíveis e perfeitos.

Porém a cena do policial encontrando ele é genial. Não fossem QUATRO cenas de sonho, QUATRO FUCKING CENAS DE SONHO, incluindo uma que é um sonho dentro de um sonho, totalmente desnecessárias, as suas cenas individuais seriam o ponto alto do filme. Inclusive uma das melhores e que eu mais esperava, a "Knightmare", foi um sonho. Broxante.

Otávio: Ben Affleck é um ator que nunca me agradou muito, honestamente sua atuação me pareceu sempre debochada demais e sua "cara fechada" é perfeita para uma legenda de "mimimi". Fatores esses excelentes para comédias românticas, filmes de comédia com cenas de ação ou posições coadjuvantes de alivio cômico em filmes de drama. Entretanto esse filme é prova que ele é capaz de interpretar um personagem atormentado, mal humorado e sério ao extremo, usando suas características debochadas para interpretar Bruce Wayne que não passa de uma fachada para o anti-herói das trevas que espreita por trás do Playboy de Gotham. Seu porte físico fez dele o Batman mais "maromba" de todos os Batmans, igual ao Superman que também está completamente "monstro" nessa série da DC, ouso dizer que esses dois personagens estão muito mais próximos das suas versões nos Quadrinhos no sentido visual que qualquer outro heróis até então. Esse Batman que vemos em Batman vs Superman é muito mais violento que seus antecessores, se preocupa menos em ser um exemplo e mais em punir quem não o é. Acredito que esse é mais mérito do Diretor/Produtor do que de Ben Affleck, mas nota-se que houve harmonia entre ambos para o resultado final e esse resultado vem sendo tratado por críticos e fãs como "o melhor batman do cinema" até então.


Superman vs Batman

Murilo: O que prometia um evento grande, não foi lá aquelas coisas. Não digo que o filme ou a luta foram ruins, mas acho que ela deveria ter durado um pouco mais, afinal, era o nome do filme né? Mas um ponto que me incomodou bastante foi o final dela, não digo isso por não ter gostado, mas pelos comentários feitos pelas pessoas que não gostaram (ou entenderam). Essas pessoas acham que a luta acaba simplesmente porque o Bats descobre que o Sups tem uma mãe com o mesmo nome da sua, mas não é isso que acontece. Na verdade o que vemos é um Batman que acaba percebendo que o Superman tem um traço de humanidade ao perceber que ele ao estar prestes a morrer, se preocupa com o bem estar de uma pessoa, e não é aquele monstro que ele achava que era. "Ah, mas ele parou porque achou que o super estava falando de sua mãe." Sim, no começo foi isso, pois o filme todo mostra que Bruce nunca superou de verdade a morte de seus pais, claro que ao ouvir aquele nome ele deu uma balançada, mas aos poucos ele percebeu que o Superman possuía uma humanidade. A chegada de Lois Lane na cena também influenciou sua decisão. Enfim, infelizmente pouca gente entendeu a mensagem que o final da luta quis passar, e ela deveria ter durado um pouco mais, mas foi uma boa luta.

Nilton: Luta foda, tirando alguns furos de roteiro absurdos do estilo: "Porque diabos Superman não avisou o Bats que Lex tinha sua mãe?". Ou melhor: "Porque diabos Supes não foi salvar ela? Super audição, visão de raio X e tals, sobraria tempo de salvar a querida". E a desculpa RIDÍCULA para união dos dois (ai meu deus, nossas mães tem o mesmo nome, vamos ser migos), fora esses detalhes essa luta foi o ponto alto. 

A ação em si foi ótima e não merece um filme como esse. Se cortar isolado e largar no Youtube verei mais de 20 vezes fácil.

Otávio: Dia versus noite; deus versus homem; o filho de krypton versus o morcego de Gotham. Essa rivalidade é bem antiga já e vemos ela em várias mídias diferentes, inclusive em discussões calorosas no Reddit, Facebook e fóruns da internet junto aos fãs mais xiitas de cada um desses heróis. A verdade é que o Superman sempre será a âncora da DC, o dilema de Deus entre homens faz parte do personagem, de como ele tem que "se segurar" nas suas lutas para não gerar dano colateral. A vantagem do Superman é tamanha que só pode ser derrotado quando subestima seus adversários. Tendo isso como premissa, eu já tinha um conceito formado de como o filme iria proceder e devo dizer que fui impressionado, de uma forma ruim: o ápice do combate entre eles se perde muito facilmente, assim como as motivações para continuar o mesmo. A luta precisava de mais tempo de tela e também de catarses mais profundas para me agradar.


Mulher Maravilha

Murilo: Eu sinceramente prefiro não me aprofundar muito com relação à personagem ainda, antes de assistir o seu filme solo, que é onde a DC saiu na frente da Marvel, pois vai ser o primeiro grande filme de uma super-heroína que pertence a um dos dois grupos chaves das editoras (Liga da Justiça e Vingadores). Ela esteve bem em Batman vs Superman, mil vezes melhor do que os pessimistas esperavam quando Gal Gadot foi escolhida para o papel. Espero que em seu filme solo ela mantenha o mesmo brilho, pois estamos carentes de uma super-heroína que se destaque sozinha no cinema.

Nilton: Uma das únicas personagens bem introduzida no filme, Gal Gadot está linda demais, pegou o espírito independente e combativo da Mulher Maravilha e deixou do seu jeito. Ignorou a critica babaca que falava mal de seu biotipo, suas atuações anteriores ou só falava mal por falar e apresentou uma versão quase definitiva. 

Esperamos que o filme solo faça jus a essa que não é só um ícone feminino, mas uma personagem com uma riquíssima mitologia para ser explorada. Façam jus a ela como Thor não fez.

Otávio: Não teve a devida introdução que merecia. Quem conhece o personagem sabe que a Mulher Maravilha é uma guerreira inconsequente, pavio-curto, honrosa e habilidosa. Seu arsenal de armas e capacidades é impressionante, fora todo o recurso que ela é capaz de desprender para derrotar seus inimigos. Os principais antagonistas da Mulher Maravilha são deuses e criaturas mitológicas, e o fato dela conseguir lidar com tamanho poder ao longo de vários anos de luta mostra que não é só mais uma coadjuvante da Liga da Justiça, mas sim uma verdadeira 'powerhouse' do grupo. Apesar da escolha da atriz ter sido fantástica e da sua atuação ter sido exemplar, faltou história, faltou apresentação, faltou entendimento, faltou a "Maravilha" da Mulher e tivemos que nos contentar com a Mulher Mediana. O Filme não fez jus a esse personagem que é muito legal, não fez jus à atriz que assumiu o papel e não fez jus aos fãs.


Lex Luthor

Murilo: Não acho que o personagem que vimos na tela era Luthor. Não estou dizendo que era ruim, gostei muito do vilão e Jesse Eisenberg atuou extremamente bem. Mas não foi o Lex que estávamos acostumado a ver nas outras adaptações e nas HQ's. Mas no final, acabou funcionando bem no filme.

Nilton: Aquele não é o Lex Luthor. É um bom vilão, tem uma das melhores atuações do filme, mas não é ele. Pode ser, sei lá, um Lex Luthor Jr, uma adaptação desses novos tempos para o vilão clássico, mas o Lex Luthor imperial fodão ainda não pintou no cinema. Zuckeberg, quer dizer, Eisenberg mandou muito bem. As conversas dele com a senadora foram épicas, a psicopatia clara (ou o vicio em cocaína avançado) e principalmente a cena em que ele faz o Superman se ajoelhar, as fotos da mãe dele sendo jogadas, foram ótimas. 

Pena um vilão e uma atuação tão boas se perderem em um filme sem sentido.

Otávio: Sociopata, intelectual, egoísta, debochado, maluco e sarrista. O Coringa realmente ficou marcado em Batman vs Superman. Se mostrou um vilão habilidoso, terrorista, assustador e maligno. Do começo ao fim você não consegue se identificar com o monstro que está na sua frente, como uma serpente que fala com razão mas incapaz de esconder suas escamas e que por trás do sorriso há uma intenção nefasta. Não pera, estamos falando de Lex Luthor e não do Coringa, mas o Lex é calculista, ególatra, oportunista, politico e não essa coisa maluca que vimos no cinema. Luthor deveria ser sutil e firme, frio como o aço e capaz das piores atrocidades sem nem mesmo levantar da cadeira. Talvez a proposta da série "Liga da Justiça" seja mostrar um Lex Luthor jovem e inconsequente agora para nos provocar, mas que amadurece nos filmes seguintes e depois ser tornar o Lex que conhecemos e amamos, e isso seria muito legal se acontecesse, honestamente!


Filme vs Quadrinhos

Murilo: Uma batalha mais importante que a vista em Batman vs. Superman, pois está presente em toda adaptação de super-heróis para o cinema. Os fãs sempre querem obras que sejam extremamente fiéis aos quadrinhos, mas temos que concordar que quando elas chegam, acabam sendo criticadas ou menosprezadas, alguém lembra de Watchmen (do próprio Snyder)? Uma das obras mais fiéis aos quadrinhos (teve algumas alterações, claro), mas que nunca teve o crédito que merecia. Mas voltando a Batman Vs. Superman: O filme tenta ser um quadrinho em movimento e consegue em várias cenas, mas deixa a desejar em outras. Além de estar abarrotado de referências a algumas sagas da DC. Não tem como avaliar como branco ou preto, digamos que nesse quesito o filme estaria mais pra um cinza.

Nilton: Esse paralelo foi bem servido. Snyder é mestre em levar exatamente o quadro das HQ's para o cinema. Várias vezes percebi isso, as pérolas de Martha Wayne, o trovão atrás de Batman na luta contra Apocalipse, a própria morte do Superman. Isso vem desde 300, passa por Watchmen e chega a Batman vs Superman com perfeição. Nisso ele mandou muito, aposto que teve fã que recitou a HQ e a página quando apareceram algumas cenas. Outra vez, pena tal fan service se perder no filme mal trabalhado.

Sobre o roteiro geral vemos paralelos com várias mídias e universos não esperados, aparecem referências a Flashpoint (aparição do Flash vindo do futuro, o jeitão mais Thomas Wayne do Batman), Injustice (todo sonho Knightmare parece ter bebido muito desse universo, até o próprio uniforme do Flash), a série Arkham em algumas cenas. Isso é muito bacana, mostra que os criadores do novo universo DC estão afim de serem ousados e fugirem do cânon. Espero que futuramente usem todo essa riqueza de versões, personagens e histórias com sapiência.

Otávio: Tela versus Papel; Luzes versus Cores; Sons versus Imaginação. A batalha eterna entre as publicações originais e suas respectivas adaptações cinematográficas. Vemos nesta obra que foram bem fiéis ao personagem principal da DC, que é o Superman, e à adaptação de Frank Miller do Batman: mais violento e menos "bonzinho". Vemos também que a narrativa da história segue a mesma receita dos quadrinhos da Liga da Justiça: Superman é o centro da história, é ele que é culpado pelas dores e sofrimentos no plot e é ele quem resolve os problemas e quem precisa agir. Isso funciona bem nas HQ's mas fica meio descaracterizado nas telas, o equilíbrio é essencial. Na minha opinião eles quiseram colocar referências e dicas para coisas demais durante toda a introdução do Batman, eu creio que eles erraram a mão ao tentar apresentar Injustice (uma linha que mostra o superman como vilão e não como herói, em uma realidade alternativa). É muito cedo, muito prematuro, fiquei feliz que eles tem intenção de seguir para esse caminho mas antes disso era preciso muito mais background para a ambientação e para outros personagens. Vejam só, até algo que nem tem forma direito (saga Injustice) teve mais tempo de tela que a própria Mulher Maravilha. Nem vou falar de Apocalypse, que possui uma origem muito foda mas que foi (quase) completamente descartada para ser inserido apressadamente no filme. Lamentável.


Conclusão

Murilo: A conclusão foi onde o filme mais deixou a desejar. Não pela morte do Superman, que eu achei um ponto muito positivo, pois pode vir um arco bom baseado nisso. Mas o que me incomodou foi a luta contra o Apocalipse. A luta nas HQ's é extremamente épica, ele e o Super se arrebentam, mas no filme ao invés disso vemos um uso abusivo de efeitos especiais desnecessários e uma luta que tinha um enorme potencial pra ser melhor. A própria cena onde os dois se matam eu achei fraca. No final acabaram subaproveitando um vilão que poderia ser bem mais impactante. 

Agora fazendo uma conclusão da resenha em si, o filme é bom, está longe de ser ótimo ou de ser horrível da forma que várias pessoas estão falando. É uma boa introdução para o universo da Liga da Justiça, mas poderia ter sido melhor. Se fosse para dar uma nota de 1 a 10, eu iria de 7.5.

Nilton: Se fizermos o clichê e compararmos DC com Marvel vemos o seguinte: A Marvel erra bastante porém não se leva tão a sério, seus filmes tem um público alvo mais novo e por isso muitas vezes acabamos perdoando filmes péssimos, como ambos Thor e Homem de Ferro 2. Na média geral eles fazem desde filmes nota 6 a filmes nota 8,5 ou 9 (na minha visão, claro), que acabam virando 7, 7.5 de nota média, passa de ano. Poderia ser bem melhor pela qualidade do material base, poderia, mas passa. 

A DC se levou a sério demais, colocou as expectativas na lua com uma campanha de marketing ostensiva, prometeu um universo realista mas anda mandando mal demais ao colocar ele em prática. Porém algumas das cenas de Batman vs Superman quando isoladas são geniais, nível Watchmen, vemos pitadas de genialidade. Em raros instantes a DC consegue chegar naquela nota 10 com estrelinha que a Marvel talvez nunca tenha conseguido, porém falta estabilidade. Logo depois de algo realmente foda vem algo realmente tosco e pela seriedade não conseguimos perdoar os erros. Vão de 3 a 10 em menos de 15 segundos. Mas também passa de ano, pega recuperação, mas passa.

Enfim, saí bem frustado do cinema no fim da sessão. Triste pela expectativa criada e não realizada, chateado pelo cinema de baixa qualidade efetuado. Está longe de ser o pior filme de super heróis de todos os tempos, bem longe inclusive, mas é uma lição de que quanto mais alta a queda, pior o estrago.

Otávio: Vimos que o filme introduz coisas demais, mas com informações de menos. Ele se baseia nos quadrinhos mas "infideliza" quem gosta de certos personagens. Muitas pontas soltas! Eu saí do filme descontente com uma série de causos, porém senti uma oportunidade para que nos filmes seguintes eles arrumem tudo de forma que faça com que toda essa frustração se torne *Mind Blowing Joyness*, é só eles fazerem do jeito certo. As cenas de ação e a trilha sonora são excelentes, o que foi muito bem produzido diga-se de passagem. No Geral um filme de super-herói com uma receita diferente, legal de conferir mas impossível de repetir a dose, que as próximas sejam diferentes, por favor.

Viram como até dentro da nossa equipe as opiniões sobre o filme saíram bem diferentes. Mas qual é a sua? Use a sessão de comentários para nos falar, se quiser pode usar os tópicos que usamos na matéria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário