Wild cards: histórias de super heróis diferentes do comum


Não sou fã do gênero de super heróis, pelo menos não da forma como muitos o abordam. Estou mais do que cansado dos heróis da Marvel e da DC e tenho um sentimento de que eles impedem novos autores de emplacar seu trabalho.

Existem outros autores, porém, que fazem algo diferente. Usam todo o poder e a influência que tem para dar a outros autores a chance de crescer dentro do mercado, além de se divertir no processo.

Sim! Vamos falar do processo de criação do Wild Cards, uma série de contos sobre Super Heróis que foi basicamente organizada como uma diversão e se tornou algo muito mais interessante (pelo menos para mim) do que o Batman vs Super Homem, Guerra Civil,  e todo o resto.


Uma origem comum e não um monte de acidentes

Todos os supers do cenário criado por G.R.R. Martin para jogar RPG com seus amigos (sim, esta é a origem dos contos, um jogo de RPG!) provém de acidente em comum, causado por tecnologia alienígena, usada por humanos de forma irresponsável (não, não vou contar como, vai ler os livros).

Além disso, surgem deformidades e monstruosidades humanas, criadas pelo mesmo acidente, que acabam se tornando os párias da sociedade, verdadeiros rejeitados, ocupando o espaço dos negros em vários momentos históricos.


Ahn, eu comentei que a história ocorre logo depois do fim da segunda Guerra? Sim, as pessoas estão reaprendendo a não viver em desespero e então um acidente com um vírus alienígena acontece (ops, falei demais).

Por serem vários contos, que vão se entrelaçando e mudando de foco, de forma diferente de A Song of Wind and Fire (Game of Thrones), mas ainda guardando semelhanças, o primeiro livro de Wild Cards, apesar de não ser exatamente recente, é um sopro de ar fresco em um assunto tão batido que são os super heróis.


O que mais de diferente este livro tem?

Antes de tudo ele é uma vitrine de artistas. Sim, Martin foi longe assim: escolheu quais autores eram interessantes para o projeto e fez dele um trampolim que muitos devem ter usado para alcançar mais leitores depois dele. Eu mesmo, depois a leitura do livro, irei separar meus favoritos para pesquisar.

Outro detalhe é como os personagens são inter citados, de forma que muitos se conhecem e muitos se inspiram nos feitos dos anteriores. Uma das melhores histórias de criação, para mim, são a do Tartaruga e da batalha do Rei Lagarto.


Recomendo a leitura deste e dos subsequentes, e quero saber qual dos heróis é seu favorito.

Um comentário:

  1. Olha depois dessa analise, me interessei vou atrás desses livros!
    PS. O Martin joga RPG? Será que ele tem trauma com personagens morrendo?? rs

    ResponderExcluir