Reviewzin do Tavitin | Dragon Blade


Dragon Blade é um filme de ação e artes marciais, disponível no Netflix e com atores renomados como Jackie Chan, John Cusack e Adrien Brody. A trama do filme é baseada em fatos reais, o que aumenta o apelo ao longa, já que a recontagem de historias sempre foi de muito interesse do público cineasta, principalmente o público nerd que adora batalhas medievais e lutas de espada. É um filme Chinês e com grandes promessas no trailer como guerras, artes marciais e o encontro em Ocidente e Oriente (Romanos e Chineses). Antes de mais nada confira o Trailer:


Minha Review será uma média entre todas as notas dos 6 critérios a seguir. Qualquer futura Review de películas desse tipo seguirá o mesmo padrão, os critérios e as notas serão os seguintes:

Notas:

5.0 - O melhor, referência, inovador, barroco, diferentão, desbravador, etc...
4.0 - Critério muito bem utilizado em uma película que captura sua identidade
3.0 - Critério presente mas sub-utilizado
2.0 - Critério está presente mas não convence o telespectador ou não sabe a própria identidade
1.0 - Ausência parcial do critério na película ou má produção
0.0 - Ausência total do critério na película

Critérios:

1 - Efeitos especiais
2 - Background e ambientação
3 - Atuação de protagonistas e personagens principais
4 - Atuação de coadjuvantes e imersão do telespectador na ambientação
5 - Desenrolar da trama e qualidade da história
6 - Utilização de técnicas teatrais ou de clichés cinematográficos

CUIDADO, pequenos Spoilers adiante:


Huo An (Jackie Chan) é um Capitão de uma tropa pacificadora que é responsável por manter a paz na Rota da Seda. Após um mal entendido com a Autoridade Chinesa, Huo An e sua tropa são presos e enviados ao Wild Geese Gate (Portão de Wild Geese), que é uma fortaleza em ruínas e que todos os enviados para lá precisam reconstruir o lugar. Os residentes do Wild Geese Gate possuem várias nacionalidades diferentes e isso gera muitos problemas inter-pessoais e até combates internos, atrasando cada vez mais a obra.

Como Huo An é um excelente líder, em pouco tempo se torna meio que o "chefe" do lugar (contradizendo boa parte da história até então, já que ele e sua tropa foram acusados anteriormente) e acaba por ajudar com os problemas entre as pessoas de diferentes povos que estão trabalhando ali, isso acontece pois Huo An tem um lema (que ele insiste em repetir infinitamente durante todo o filme) que é: "transforme inimigos em amigos e adversários em aliados". Um tempo se passa e uma tropa de Romanos é avistada se aproximando em formação de guerra em direção à Fortaleza, todos os residentes de Wild Geese se armam para a batalha e aguardam o cerco mas Huo An se prontifica a ir negociar com os Romanos e tentar colocar seu lema em prática.

Huo An se encontra com Lucius (John Cusack, ver imagem acima) e as negociações vão de mal a pior, com Lucius duelando com Huo An pelo controle da Fortaleza sem precisar matar nenhum soldado de ambos os lados (como Huo An conseguiu esse tipo de autoridade não é muito bem explicado, provavelmente porque não tem como explicar mesmo, afinal ele foi ACUSADO pelas autoridades chinesas).

Antes do duelo terminar (que estava pau a pau) uma tempestade de areia se aproxima e Huo An oferece abrigo aos Romanos, e então finalmente a historia começa a andar, mas de mal a pior, pois uma série de baboseiras acontecem em seguida, como sessões de treinamento que mais parecem batalhas de Break Dance entre os chineses e os romanos, Huo An sendo nomeado um Legionário de Roma por ser um cara legal e ser capaz de "transformar inimigos em amigos" e blablabla. Não vou discorrer mais pois se você se interessou, não levará mais Spoilers, principalmente sobre os principais acontecimentos e o (fraquíssimo) clímax.


Honestamente o filme foi uma decepção, as cenas de artes marciais são bem meia boca, a historia se desenrola de um jeito estranho e sem nexo, os personagens não são memoráveis. Eu não me senti introduzido na época (como, por exemplo, vendo Marco Polo), tive a impressão de ver várias pessoas dos tempos atuais vestidas com roupas chinesas ou romanas brincando de ser guerreiros. O vilão  não consegue nem capturar o seu desgosto por ele. Ao longo do filme você não sabe dizer se o foco é só artes marciais, se é o cunho histórico, se é uma lição de moral, se é aventura ou qualquer outra coisa que o telespectador não consegue perceber, pois tem um pouco de cada coisa e tão pincelado que profundamente não tem nada.

Ué...
O filme está cheio de momentos "empata-foda", onde cria-se uma tensão enorme sobre o desenrolar das cenas seguintes para então(...) ter um desfecho fraquíssimo, quase irreal ao ponto de cômico, mas falhando até nisso pois você percebe que eles estão tentando ser sérios e te convencer que aquela tensão foi resolvida de uma forma medíocre e sem graça. Por algum motivo ele está com 4,5 estrelas no Netflix, porém eu não recomendo este filme para ninguém. Vamos às notas:

Efeitos especiais: Nota 3.0
- eles poderiam ter melhorado as guerras de larga escala.

Background e ambientação: 2.0
- como eu falei antes, parece um monte de pessoas vestidas como na época, e não personagens fictícios, os personagens tem historias próprias mas não capturam a atenção e se foi baseado numa historia real, ela certamente não teve uma boa representação nessa película.

Atuação de protagonistas e personagens principais: 1.0
- nem o Brody consegue salvar essa.

Atuação de coadjuvantes e imersão do telespectador na ambientação: 0.0
- "teria sido melhor ver o filme do pelé".

Desenrolar da trama e qualidade da história: 1.5
- eu acho que esse critério merecia um 1.0, mas como é baseado em fatos reais eu dei uma colher de chá, mas 2.0 é demais.

Utilização de técnicas teatrais ou de clichés cinematográficos: 2.0
- poderiam ter aprofundado mais o personagem de Brody, Jackie Chan tinha que ser menos 'Jackie Chan' no sentido interpretativo (clichés pessoais muito acentuados). O filme te leva para uma direção e não te surpreende em nenhum momento, não te emociona, não é memorável.

Nota final: 1,6

Nenhum comentário:

Postar um comentário