Estilos de mestre e as armadilhas a serem evitadas



Nosso texto sobre RPG de hoje falará sobre algo muito interessante no processo de amadurecimento de um mestre: o estilo pessoal que cada um acaba desenvolvendo e as generalizações que acabam virando piadinhas.

Vamos entrar também no mérito do “mestrar certo” e mais ainda, vamos falar sobre o ponto mais importante de ser um mestre: se preocupar com os outros.

O estilo individual e as piadas feitas

Antes de tudo, vamos lembrar que RPG é um jogo e, como todos os outros jogos, é para ser divertido e o mais descontraído possível. Mesmo quando queremos jogar algo mais “a sério” e levar o jogo a outro patamar, só devemos fazer isso se TODOS os envolvidos (se é só uma pessoa que não se diverte com o estilo de jogo vigente, verifique se ela prefere não participar).


Sim, parece algo bem complicado, mas na verdade é algo muito simples e você, como mestre de jogo, precisa entender as motivações dos seus jogadores (pode perguntar, embora eles não digam abertamente, é um excelente começo) para colocar na história tudo que eles querem. Do romance para o Don Juan da mesa até a aventura desenfreada para aquela viciada em adrenalina.

Depois de muitas aventuras, você vai acabar descobrindo um estilo onde você se sente mais confortável como mestre de jogo, e seu grupo acaba se acostumando com ele. Isto não impede, porém que as piadas sejam feitas. Piadas estilo “Mestre Madre Tereza” que não deixa ninguém morrer (eu era desses, vamos ver agora que estou voltando a mestrar o que acontece).

Encare essas piadas com descontração, mas também como um feedback. Uma das formas mais divertidas de manter seus jogadores sempre na ponta das suas cadeiras é virar o fantástico “Mestre roleta russa”: ter vários estilos e nuca deixar claro com qual eles estão lindando.


Existe “jogar errado” dentro do RPG?

Não, não existe. Cada grupo ignora aquilo que quer do manual e faz suas aventuras como bem entender. O importante é todos estarem coerentes com o que está vigente e todos estarem se divertindo.

Acontece muito de quando jogamos em outra mesa (ou com um mestre que não conhecemos tão bem), de estranharmos determinadas regras e mudanças, mas da mesma forma que não é agradável ou recomendável questionar ou criticar os hábitos de uma família quando você os visita, não questione as regras de uma mesa quando você joga pela primeira vez.

Caso você seja o mestre e esteja construindo sua mesa, preste atenção no que todos os jogadores desejam e ofereça um mix equilibrado disso, com a dose certa de caos e surpresas. Pode parecer difícil, mas esse é o desafio de ser mestre de jogo.

Leia as outras matérias sobre os mestres de RPG:


Nenhum comentário:

Postar um comentário