Sense8 | Crítica da primeira temporada


A nova série Sense8 (um jogo de palavras de Sense + Eight = "Sensate"), dos mesmos criadores de Matrix, chegou ao Netflix no dia 5 de junho deste ano (2015). Ela conta a história de oito personagens, ligados por um tipo de conexão misteriosa, que os faz serem capazes de ver, sentir, ouvir e conversar com os outros integrantes do grupo.

A série se passa em diversos lugares do planeta - na África, Islândia, Alemanha, Índia, Coréia do Sul, Estados Unidos e Inglaterra - mostrando a história e o lugar de origem de cada personagem apresentado. Apesar de ser uma série de ficção - meu gênero favorito - confesso que o nome não me atraiu muito logo de primeira. Decidi ver depois de várias indicações de amigos, e posso dizer que me surpreendi bastante (positivamente).


A primeira temporada apresenta os personagens e fala um pouco da história de cada um, e dá algumas dicas do que pode ser a causa dessa ligação que ocorre entre eles, mas nada muito aprofundado ainda. Durante os primeiros episódios eu fiquei bem perdida, e várias vezes pensava "Nossa, não entendi nada!" - algo que já é de se esperar dos irmãos Wachowski. Apesar disso, a série te prende, e é daquelas que dá vontade de assistir um episódio após o outro sem parar (que foi exatamente o que eu fiz!).

A trama é complexa, e os personagens tem histórias bem diferentes uns dos outros. Cada um com problemas e questões muito variadas, e os tópicos são bem atuais. Pra começar, há dois casais gays: um formado por dois homens, e outro formado por duas mulheres - uma delas sendo transexual; uma indiana que está num conflito pessoal sobre casar ou não com o pretendente que não ama e lidar com a pressão da família; um homem que sofre lembrando dos problemas com o pai agressivo; outro personagem que cuida da mãe com AIDS; entre outros. É realmente uma série para os tempos de hoje: sem preconceitos e inclusiva.



Os produtores da série e o Netflix ainda não confirmaram se haverá uma segunda temporada, mas o co-criador, J. Straczynski, disse que está bastante esperançoso pois Sense8 tem tido um enorme apoio dos fãs e isso pode ser um bom sinal para o Netflix ficar ainda mais animado com uma nova temporada - o que eu acho extremamente necessário, já que na primeira não deu para sacar muito bem o que acontece com os personagens e muitas histórias ficaram incompletas.

Se você ainda não assistiu e está em dúvida, Sense8 é uma ótima forma de passar o tempo e de te fazer pensar de uma maneira diferente sobre várias questões atuais. E vamos torcer para que a segunda temporada saia logo, pois acredito que a série, além de ter uma história que pode ser muito bem desenvolvida ainda, tem também um futuro muito promissor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário