Jurassic Park - O Livro


Bem, eu estou ouvindo a mesma frase já tem algumas semanas quando falo que estou lendo o livro chamado Jurassic Park: "Caralho, tem livro?!". E assumo, eu mesmo falei esta frase quando descobri isso (HAHA)! Felizmente, tive o prazer de ler esta obra de Michael Crichton cedida pela gloriosa editora Aleph à minha pessoa (obrigado caras!) e adorei! É uma obra digna da grandeza do filme, mas de um jeito diferente.

Vamos falar sobre o escritor, Michael Crichton é alguém extremamente detalhista e empenhado em tudo o que faz. Formado em biologia antropológica e posteriormente em medicina, amante de livros desde sua infância, fez a difícil decisão de seguir a carreira como escritor em 1969. Lançando diversos Best Sellers como "O Primeiro Assalto de Trem" (adaptado em 1979 com Sean Connery em um dos papéis principais), "Devoradores de Mortos" (que inclusive me interessou muito, foi adaptado ao cinema como o filme "13º Guerreiro", com Antonio Banderas, e muito criticado desde o lançamento, mas tem uma ótima premissa, sempre o considerei um filme "azarado", não exatamente ruim, será o próxima obra de Crichton que lerei, sem dúvidas) e Micro (um livro póstumo , a ser adaptado pelo próprio Spielberg nos próximos anos).


A principal característica de seus livros é a ficção realista, utilizando sua base acadêmica para criar uma atmosfera "crível", a pseudo-ciência de cada assunto. Toda obra de ficção possui essa “ciência” que permeia a história, algumas viajam demais e se tornam absurdas, porém outras te fazem pensar: "Não duvidaria se isso rolasse". E as obras de Crichton seguem este último padrão. Tomando o exemplo de Jurassic Park, onde, sempre que possível, os personagens que possuem formação usam de jargões técnicos profissionais, exibindo seu conhecimento profundo sobre o assunto, tornando a imersão muito maior. Você realmente acredita que eles manjam demais sobre o que falam. Já que estamos falando das falas, a narrativa é fácil de ser acompanhada e tem ótimos personagens explorados de maneira mais profunda, alguns sendo mais completos no livro, outros mais charmosos no filme.

Antes que me joguem pedras, estamos falando de uma das obras mais importantes da história do cinema. Jurassic Park é inacreditavelmente completo, agrada adultos e crianças (obviamente eu revi o filme e arrepiei em vários momentos, hoje entendo que esses arrepios vêm da trilha sonora genial de John Willians) e ainda é uma diversão sensacional, mesmo que seus efeitos em alguns momentos sejam obsoletos (para época o CGI usado era revolucionário, mas a idade é péssima com CGI's. Hoje me impressionei mais com os efeitos práticos. Aqueles dinossauros feitos com engrenagens são perfeitos!). É uma das primeiras obras que posso afirmar a qualidade de ambas, tanto livro quanto filme, sem medo algum. Elas praticamente se completam.


O livro aborda os assuntos com maior seriedade e realismo, inclusive sendo mais gráfico que o filme em muitas cenas sangrentas! A história em si tem seus desvios, mas levam para o mesmo lugar, a diferença é o detalhismo de Crichton na questão técnica. Não são poucas as vezes que imagens aparecem mostrando cartas, gráficos e explicações cientificas, aprofundando muitas questões deixadas no ar pelo filme. É um caso onde você assiste o filme e pensa "Que universo incrível, quero conhecer mais sobre ele!", compra o livro e satisfaz esse desejo com maestria. Só não o compre esperando ver os mesmos personagens, a personalidade de quase todos é muito diferente!

Alan Grant é mais "humano" no filme, simpático e com uma jornada de aprendizado, Ian Malcolm tem o charme bizarro de Goldblum na película e está longe de ser um rockstar nos livros, porém seus diálogos muito bem espalhados pelo filme são mais coesos e gostosos de se ler nos livros (e fazem mais sentido também, revendo não me pareceu condizente a atitude de Malcolm com sua linha de pensamento). Não temos também o "velho fofo" Hammond no livro, sua excentricidade é substituída por algo quase vilanesco, porém mais interessante. Essas diferenças nas visões dos "criadores" da obra são interessantíssimas e deixam a leitura ainda mais rica!


Finalizando, Jurassic Park "O Livro" é uma obra necessária para todos que se interessaram pelo filme e querem saber mais sobre este mundo onde lagartos com milhões de anos foram ressuscitados em um habitat muito diferente. Se concentrando na psicologia e filosofia, mas sem perder em ação, o livro coloca em pauta questões morais da ciência e religião que até hoje são assunto delicado de maneira aprofundada.

Caso não seja fã do filme, analise se você possui interesse em ficção com muita base científica, mas com uma narrativa leve. É aquele livro tranquilo e interessante para perder algumas semanas. Se estiver sem leituras no momento vá em frente e leia, mas se procura algo que mude sua vida e exploda sua mente, não acredito que seja seu livro.


Porém se você é fã do filme não pense duas vezes, adquira. Pode ser que pela minha paixão pelo assunto (tenho até hoje a fita "fóssil" do filme, passei anos de minha vida colecionando esqueletos de dinossauro e aquelas miniaturas chinesas de 1,99 que provavelmente são cancerígenas), o julgamento não seja tão claro, porém ler essa obra foi não só uma incursão em um universo muito rico como um tour pela minha infância. Aos fãs de dinossauros e de Spielberg, fica a dica!

Jurassic Park foi cedido como cortesia pela Editora Aleph ao Nerdbucks. Acompanhe as novidades da Editora:

Ficha Técnica:
Nome: Jurassic Park
Autor: Michael Crichton
Editora: Aleph
Páginas: 528
Onde Comprar: Submarino, Saraiva, Amazon.
Adicione ao Skoob

2 comentários:

  1. Essa "pseudociência" é boa e muito ruim ao mesmo tempo.

    O lado bom é permitir criar um universo crível, mas ao mesmo tempo é ruim pois nem toda boa história precisa ficar se explicando. George Lucas que o dia, quando começou a estragar a trama "Star Wars" quando tentou dar uma explicação científica para a "força".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo absolutamente. Um dos charmes de Mad Max, por exemplo, foi não explicar nada em momento algum, deixa você para imaginar como e porquê aquelas coisas estão acontecendo. Mas nesse caso até foi bem vinda, como o autor é médico e biólogo, tem base científica. Mas nesse caso de Star Wars, seu Luquinhas tava longe de ter haha

      Excluir