Órfãos do JRPG


Olá leitores do Nerdbucks essa é uma matéria que escrevi faz um tempo para o SideQuest (que hoje está inativo), e como a matéria é bem legal, resolvi compartilhar ela aqui com vocês também. A matéria fala sobre uma coisa que está me incomodando bastante no mundo dos games: o fato de as empresas terem feito cair no esquecimento o meu gênero favorito: o JRPG (Japan RPG). Para os desavisados de plantão e que são noobs no gênero, irei explicar o que é o JRPG e também sugerir (relembrar, para os que já conhecem) games clássicos do gênero, e, para uma maior qualidade nas indicações, irei falar somente sobre os jogos que eu já joguei.

Definição

Como uma definição bem crua, poderíamos dizer que o JRPG nada mais é do que um RPG feito no Japão (OOOHHHHH), mas há muito tempo o gênero passou a ser muito mais do que isso, até porque existem JRPG's feitos no ocidente. Mas o que diabos define um JRPG então? Calma meus jovens padawans, para facilitar irei citar algumas coisas que, em regra (os estudantes de direito de plantão entenderam, e se você não é, uma explicação: toda regra tem uma exceção), classificam o jogo como um JRPG:

Primeiro eu, depois você!

1ª Regra:  Combate por turnos - Todo JRPG que se preze tem seu combate feito em turnos, ou algo semelhante (Final Fantasy XII por exemplo não tem seu combate inteiramente em turnos, porém o ATB, Active Time Battle, que é um sistema de luta no qual o player tem que esperar encher uma "barrinha" de tempo do seu personagem para poder executar uma ação, está presente e simula um combate por turnos, portanto, também se enquadra no gênero). Se você acha combate por turnos uma coisa chata esse não é o seu estilo de jogo e você pode queimar no inferno. Ao meu ver, a grande vantagem desse sistema é que o combate fica bem mais estratégico, afinal, uma ação mal executada pode te complicar muito em um combate, principalmente se for contra aquele mega boss extremamente apelão, que por várias vezes te faz olhar para a tela de "Game Over" tão odiada pelos players.

Um mundo para desbravar.

2ª Regra:  A exploração. - Os JRPG's costumam focar bastante nesse quesito, vários jogos te fazem andar igual uma barata tonta pelo mapa, procurando o local no qual você deve realizar uma quest, seja ela pra encontrar algum item, achar aquele npc chato ou enfrentar algum inimigo, ou até mesmo para encontrar algum lugar com inimigos que deem bastante XP para que você possa upar o seu char.

3ª Regra: A História. - Geralmente, é o foco principal do JRPG, que, na maioria das vezes, te coloca em um mundo que está passando por uma ameaça muito grande, que as vezes é um vilão maligno super-poderoso ou com um tema mais político (guerra entre nações por exemplo) e te faz querer ler cada dialogo principal. Claro que alguns games vem com uma história de merda não muito boa, e nem original (FF X-2 que o diga), mas que você joga e gosta do jogo por outros motivos.

4ª Regra: O grupo. - Quase sempre os JRPG's unem um grupo com objetivos em comum (as vezes não tão em comum assim), que se conhecem nas mais variadas situações e, quase sempre, os personagens que fazem parte do grupo tem histórias próprias e um passado a ser descoberto no decorrer do jogo.


5ª Regra: O estilo anime. - Essa não é uma coisa presente em todos os jogos de JRPG, porém, na maioria você encontra, até em jogos que tentam passar um gráfico mais realista esse estilo está presente (FF VIII e FF XII são bons exemplos).

6ª e última regra principal (UFA!!!): O conjunto de fatores e a soma das regras. - Nem sempre um jogo terá todas essas regras, porém a combinação de algumas tem que se fazer presente.

Considerações finais sobre a definição: Um JRPG é um estilo que te faz envolver-se com a história e com os personagens, tem uma pitada de humor (na maioria das vezes) e te faz rir/chorar/ficar com raiva de algum vilão FDP, resumindo, se emocionar de alguma forma, vale a pena dar uma chance a esse estilo de jogo.

Grandes Jogos (que eu já joguei)

A primeira vez que eu coloquei as mãos em um JRPG foi na época da febre Pokémon, eu era criança e super fã dos monstros de bolso (pocket monsters dãããã) e como era um nerd tetudo dependente dos pais ainda era uma miniatura de pessoa, que não tinha dinheiro próprio, jogava em emuladores na casa de alguns amigos. Mas o jogo que me fez virar fã do gênero com certeza foi Final Fantasy VIII, comprei o jogo para o meu finado PSX e desde a primeira vez que o coloquei para rodar no videogame, me apaixonei completamente por causa de alguns elementos: uma abertura fodástica, personagens carismáticos, uma trama bem política e que mesmo assim envolve coisas místicas (magia e coisas do gênero) e uma trilha sonora estupidamente maravilhosa (a música "Succession of Witches" é de longe a minha música de games favorita) composta pelo, na minha opinião, melhor nesse quesito de toda a história dos games: o grande mestre Nobuo Uematsu. A única coisa ao meu ver que o jogo peca é no sistema de batalha (também não chega a ser ruim) no qual você fica muito preso ao uso dos GF's (Guardian Forces, são monstros que você invoca no jogo). Mas enfim, para não nos estendermos mais do que o necessário, vou fazer as minhas indicações para quem se interessa em entrar para esse mundo (e para quem já faz parte, mas não jogou algum desses jogos):


Série Final Fantasy

Sim, vamos começar pelo óbvio, até porque é de longe a série de JRPG's mais famosa do mundo, e a que mais ajudou a popularizar o gênero, apesar de alguns de seus jogos não serem nada originais (principalmente os primeiros), a maioria é extremamente envolvente e eu irei citar os que eu considero os melhores (principalmente para quem não jogou):

 E eu achando que a deusa iria nos abençoar... (versão hd pra ios)

Final Fantasy VI: História excelente, um dos melhores FF's (na minha opinião melhor até do que o VII), com um história bem política e o melhor vilão de toda a série (sim, melhor do que Sephirot, podem me crucificar se quiserem): Kefka Palazzo. Que é completamente insano e se veste como um palhaço (Palazzo, sacam?) e, a critério de comparação, lembra o coringa. Sério, vocês irão amar e odiar esse cara. Amar por ser um vilão tão bem construído, e odiar pelos seus atos no jogo (ele chega a envenenar um reino inteiro, matando quase todos). Enfim, é um jogo com gráficos já muito ultrapassados, porém, se você gosta de uma história foda e com personagens envolventes, deve dar uma chance.

Nos proteja Cloud!!!

Final Fantasy VII: O mais hypado de todos os FF's. Fãs pedem desesperadamente para que a Square faça um remake, e a Square se nega desesperadamente a faze-lo, o mais próximo disso que fizeram foi lançar uma versão remasterizada para PC. Apesar de considerá-lo muito hypado, também adoro esse jogo, realmente é um dos melhores FF's já feito (apesar de preferir o VIII e o VI e por isso achar o VII hypado). É dificil não se apaixonar (no bom sentido seus maliciosos) por personagens como Cloud, Sephirot (segundo melhor vilão dos FF's na minha humilde opinião) e quase todos os outros personagens principais. Assim como o VI (e a maioria dos FF's) a história tem um tema político (Cloud é um ex-Soldier que começa trabalhando "mercenariamente" para um grupo rebelde) e é simplesmente muito foda. Se você ainda não o jogou, não perca tempo e vá descobrir o porque desse jogo ser tão hypado.

E aquela cama ali hem???

Final Fantasy VIII: O meu preferido de todos os FF's. Nem preciso falar que a história tem tema político né? Enfim, possui personagens ótimos e cativantes, história muito bem construída e, na minha opinião, a melhor trilha sonora de todos os jogos da série. O único problema é que o sistema de batalha não é tão bom como os do VI e do VII. Mas se você é um cara que quer começar por um FF que tenha um gráfico um pouco melhor que os mais antigos e gosta de uma história bem construída, esse é o FF certo pra você começar. O jogo também ganhou uma versão remasterizada para PC recentemente e está disponível na Steam.

já sabemos o que zidane foi fazer depois que se aposentou do futebol...

Final Fantasy IX: Um FF que a Square fez para tentar voltar as origens, com os personagens podendo equipar armaduras novamente (ao invés de somente armas e alguns acessórios dos últimos 2 FF's) e voltando com os gráficos com estilo antigo (mais estilo anime e personagens meio cabeçudos), porém, assim como os últimos, tem uma história e personagens muito bons. Comece com esse se você preferir gráficos bons e um JRPG mais tradicional.


Final  Fantasy  X:  Pelo  pouco  que  eu  joguei  posso  falar  que  é  outro  grande  FF, história  boa e  personagens  bem  construídos,  sistema  de  luta  excelente, e com  o player podendo trocar os personagens durante as lutas, recomendadíssimo também. Mas aí você nerd tetudo padawan me pergunta: E o FF X-­2? Nããããããão, NUNCA, mas nunca mesmo, comece com esse jogo, não que ele seja uma bosta completa, mas está longe de ser  de  grande  qualidade,  só  jogue  esse  jogo  mesmo  se  você  terminou  o  X  e  gostou bastante da história, porque se não gostou vai passar a odiar após jogar o X-­2.

Baixou o santo na coruja.

Final Fantasy XII: Outro FF que vale muito a pena, alguns não gostam pelo estilo meio MMORPG (você se movimenta durante os combates) e o fato dele não ser totalmente por turnos, apesar de ter o ATB (leia o começo do post que irá entender). Se você é super fã de MMORPG's e quer entrar nesse mundo de RPG's orientais, esse é o jogo certo pra você.

Tentando imitar Jesus...

Final Fantasy Tactics: Curte jogos de tabuleiro, história com várias intrigas, traições estilo game of thrones e uma narração meio shakesperiana? Esse é o jogo pra você.

Série Persona

Adeus mundo cruel!!

A série Persona (ou Shin Megami Tensei: Persona se preferir o nome completo que eu só não coloquei no título pra não ficar muito grande) é uma série que mistura exploração de Dungeons com um simulador de vida escolar (é melhor do que parece, juro mesmo), e é um JRPG que fez um certo sucesso recentemente com a 3ª e a 4ª versão do jogo.

Não irei falar dos jogos especificadamente igual fiz com os FF's porque eu joguei somente a 3ª versão, e gostei demais do jogo, que tem como foco principal a invocação dos Personas (seres elementais que vivem na mente dos personagens principais, não entendeu? jogando você entenderá facilmente meu jovem padawan) e a exploração de uma Dungeon absurdamente enorme. E antes que você me pergunte o que diabos um adolescente virgem está fazendo com uma arma apontada para a própria cabeça na imagem acima, eu te digo: não é uma arma de verdade, é um objeto usado pra expulsar o persona de sua alma (sinistro) e tem esse formato para facilitar o manuseio, enfim, no jogo são explicados todos os detalhes. Se você curte simuladores e explorações de dungeons (os chamados Dungeon Crawlers), essa com certeza é a série que você deve começar a jogar, e sim, comece pelo 3º jogo e depois jogue o 4º (que eu ainda irei jogar também).


Chrono Trigger

Bora dormir, porque temos muito trabalho amanhã!

Eleito por muitos como o melhor RPG de todos os tempos, também eleito por muitos como o melhor jogo de Super Nintendo de todos os tempos. Chrono Trigger é um jogo simplesmente fodástico, sério, palavras não descrevem o quão esse jogo é foda (no sentido de ser bom), e tem os desenhos dos personagens feitos por ninguém menos que Akira Toriyama (pros que não vivem nesse mundo sabem, é o criador/desenhista de Dragon Ball) . Se você quer começar com um jogo que irá tomar horas de sua vida, que a história é espetacular e que não seja Final Fantasy (as vezes você pode não gostar da franquia da square né) dê uma chance a esse jogo, dificilmente você não irá gostar e se não gostar quero que queime no inferno.

Dragon Quest VIII

Tá na hora do pau!!!

Outro excelente jogo desenhado pelo mestre Toriyama, com uma história também espetacular, gráficos lindos (pois já é da época do PS2), personagens super carismáticos e uma temática medieval. Se você é super fã de jogos medievais, não quis começar com Chrono Trigger por ele ser meio futurista ou pelos gráficos ultrapassados, comece com esse que você não irá se arrepender.

Conclusão das indicações

Eu poderia lhes indicar muitos outros bons jogos de JRPG que eu já joguei, mas como essa matéria foi só pra indicar alguns jogos para que os noobs iniciantes do gênero possam ter por onde começar, vou parar por aqui, se você jogar mais de uma dessas obras e mesmo assim não começar a curtir o gênero sugiro que se exploda que vá jogar outro tipo de jogo, porque realmente esse estilo não foi feito pra você e você deve ser uma pessoa muito chata.

Voltando a criticar as empresas

Tendo explicado sobre o gênero e feito algumas indicações para quem se interessa em conhecê-lo, voltarei a falar sobre o que me atormenta: o abandono das empresas com relação a esse estilo. Sinceramente, desde FF XII e Dragon Quest VIII (ambos de PS2) não jogo um JRPG de qualidade, ainda mais depois que resolvi trocar os consoles pelo PC (não quero explicar motivos para não alimentar nerds tetudos gamers que ficam de guerrinha de plataformas e falando "mimimi PC é melhor" daqui e "mimimi PS4/Xbox One é melhor" dali), pois se as produtoras já fazem poucos JRPG's de qualidade para os consoles hoje em dia, quem tem PC e gosta do gênero então... Está praticamente esquecido. Parece que essas empresas esquecem do grande sucesso que seus jogos fizeram no passado e o que podem fazer agora que a parte gráfica dos jogos está bem mais desenvolvida. Somente se você tem um portátil ainda conta com alguns lançamentos decentes de JRPG's (principalmente se esse portátil for um 3DS). Enquanto as empresas não voltam a dar atenção pra esses amantes do gênero (igual eu), só nos resta jogar os jogos antigos, e pedir a essas empresas que voltem a fazer jogos maravilhosos iguais a esses que elas faziam no passado, infelizmente.

Um comentário:

  1. Muito bom mesmo o artigo. Ultimamente voltei a jogar Tales os Xiilia e Graces. Gosto muito da franquia principalmente de Tales of Destiny para PSX. Sinto falta de uma continuação ou remake de Legend Of Dragoon e Chrono Cross.

    ResponderExcluir