A incrível vida de Christopher Lee


Acredito que muitas pessoas, se não todos, tem um sonho, o sonho de serem lembrados após a morte, que seu legado seja respeitado e continue a influenciar gerações por vir. Para atingir esse nível, alguns feitos tem de ser concretizados, seja em nosso micro universo, para sermos lembrados pelos familiares e amigos, ou no macro, se destacando como um dos melhores em certas áreas e servindo de referência para os próximos.

Mas Lee não se contentou em ser referência em apenas uma área, desde o momento que nasceu ele pareceu estar destinado a grandes feitos, se tornando referência não só no cinema, mas na música, nos esportes e no militarismo. Um ser humano assustadoramente completo.

Nascido na Inglaterra, em 1922, com o nome completo de Christopher Frank Carandini Lee, sua família já era notável, descendente de Carlos Magno, um dos maiores reis da França, filho de uma condessa italiana e um coronel do exército inglês. Após uma infância e adolescência onde foi vitima de bullying pelo seu físico extremamente magro e alto, considerado sempre um aluno apenas mediano, acabou se matriculando na Universidade de Wellington, onde estudou Grego Antigo e Latin, se destacando também nos esportes, em especial no squash e na esgrima.


Muitos já estariam contentes com um diploma bacana e o destaque nos esportes, mas não Lee. Em 1939, decidiu fazer as malas e se mandar para Finlândia, lutar pelo exército local contra a invasão soviética. Voltando para Inglaterra em 1940, se alistou na lendária RAF, a Royal Air Force, afim de ajudar seu país no início da Segunda Guerra. O mais incrível é que daria para escrever um texto inteiro só sobre suas proezas militares, porém, como o espaço é curto, irei resumir.

Durante os exames médicos iniciais, Lee foi proibido de pilotar aviões, devido sua visão fraca, analisando suas possibilidades resolveu partir para a "inteligência", ajudando em missões de quebra de códigos nazistas. Se destacando continuamente, foi enviado para o front africano, para participar como oficial tático, planejando ataques e incursões. Mais uma vez, seu sucesso fez com que ele se tornasse membro da SOE, agência de operações especiais, se tornando o que vulgarmente chamamos de "agente secreto". Foi fundamental no desarmamento de unidades de pesquisa nuclear alemãs, no corte de suprimentos ao exercito inimigo no front do leste europeu, diminuindo o tempo de resposta da reação nazista e sendo fundamental na vitória soviética, participou da batalha de Monte Cassino na Itália ao lado dos mais ferozes soldados de seu exército, os Gurkhas indianos, conhecidos por sua brutalidade em campo de batalha, entre vários outros feitos igualmente importantes durante a guerra. Após a rendição alemã, ele simplesmente se tornou uma espécie de pré Magneto e foi incumbido de perseguir criminosos de guerra nazistas. Tudo isso foi largamente documentado por seu companheiro de inteligência e primo, Ian Fleming, conhecido por criar um personagem icônico de nossa cultura pop, o fucking 007, baseando várias de suas histórias em suas aventuras, e de vários outros agentes.


Sim, somente agora vamos falar sobre sua carreira como ator. O herói de guerra, condecorado por mais de 4 governos e amigo pessoal do ditador iugoslavo Tito, resolveu que deveria continuar sua carreira nas telas de cinema. Se tornou de cara o ator mais alto de Hollywood, seu primeiro grande papel foi como Frankenstein em 1957, um ano antes de ser escolhido para encarnar o nosso conde romeno favorito, Dracula! Com o enorme sucesso de sua atuação, rapidamente galgou os degraus da fama, se tornando uma cara conhecida por vários papéis como o mago Saruman de Senhor dos Anéis, Darth Tyrannus (conde Dookan) de Star Wars e Scaramanga de O Homem da Pistola de Ouro, clássico de 007. Participando de mais de 300 projetos entre cinema, tv e video games, trabalhando com pessoas do calibre de Spielberg, Charlton Heston, Orson Welles, Vincent Price, Jeff Bridges, Patrick Stewart, entre vários outros, se tornando o ator com mais cenas de esgrima da história (aproveitando suas habilidades do tempo de faculdade), chegando ao rídiculo extremo de ser um dos atores que mais trouxeram lucro para os estúdios da história, seus filmes movimentaram mais de US$ 5 BILHÕES de dólares, BILHÕES.


Não satisfeito, aos 88 anos, Lee resolveu mostrar o ultimo dedo do meio pra vida e provar que ele é, talvez, um dos humanos mais completos da existência, lançando dois albuns conceituais de power metal sobre a história de seu antepassado Carlos Magno, chamados de By the Sword and the Cross e The Omens of Death, recebendo o prêmio "Spirit of Metal" da revista Metal Hammer, se tornando o cantor mais velho da história do metal, lançou também o album A Heavy Metal Christmas, chegando a 18a posição na Billboard, se tornando o cantor mais velho da história a entrar no top 100.


Confira alguns trabalhos de Lee na Música



Para completar, Lee foi comandante da Ordem de São João de Jerusalém e recebeu a honraria de se tornar um Cavaleiro Real a serviço da Rainha. Ufa, finalmente chegamos ao fim deste texto. Bem, não tenho muito mais o que adicionar, a história do cara fala por si só, mas uma memória que levarei para sempre é a luta épica de Saruman nesse ultimo Hobbit, acima de todas as críticas, aquela cena incrível onde ele luta contra os Nazgul e bane Sauron foi demais. Em sua ultima grande obra, Lee achou uma maneira de se destacar e nos deixar um adeus glorioso.

Vá em paz, Christopher, seu descanso é merecidíssimo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário