Em busca do riso sagrado (ou a falta de comédias realmente boas)


Ah a comédia, um dos mais importantes gêneros cinematográficos, e que sempre fez um grande sucesso entre o público, afinal, todos gostamos de rir, não é mesmo? Mas nos últimos anos passamos por tempos turbulentos no mercado desse tipo de filme, com obras de qualidade cada vez mais duvidosa. Em outros tempos muitas das comédias que hoje consideramos boas seriam consideradas no máximo como um filme mediano, mas afinal, o que está acontecendo com o gênero?

Antes de responder a essa pergunta, façamos uma breve viagem pelos primórdios desse gênero.

O filme L'arroseur Arrosé (O regador renegado), criado em 1896 pelos franceses irmãos Lumiére, é considerado o primeiro filme de comédia da história. Mas há controvérsias, pois algumas pessoas consideram o filme Sneeze (O espirro), de 1894, como o primeiro filme de comédia.

Alguns anos mais tarde, tivemos o grande Max Linder, que nos presenteou com grandes filmes da época, inclusive o clássico Max Pédicure Pour Amour (Calista por Amor) em 1912.

Max Linder
Mas foi nos EUA que a comédia atingiu o seu ápice e começou a atingir maiores públicos. Com o tempo tivemos grandes nomes como Mack Sennett (fundador da Keystone), Charles Chaplin (Inglês que se inspirou em Max Linder e fazia filmes para a Keystone), Buster Keaton, Harold Lloyd, Harry Langdon...

Em tempos mais modernos também tivemos Jim Carrey, Jerry Lewis, Eddie Murphy, Charlie Sheen, Steve Martin, Leslie Nielsen... Ou seja, nomes não faltam, e muitos deles ainda estão atuando. Mas depois de tanta coisa boa que foi feita desse gênero, porque agora o gênero está cada vez mais em baixa?

Se analisarmos a situação atual do cinema norte-americano, vamos perceber que não é somente a comédia que anda mal das pernas. O cinema em geral está passando por uma fase de bloqueio criativo, não pelo fato de não existir gente boa e capacitada para criar coisas novas, mas pelo fato de os estúdios não arriscarem um grande investimento em coisas novas da mesma forma que o faziam antigamente. Por isso cada vez mais vemos várias continuações de filmes conhecidos, pois o estúdio sabe que mesmo que o filme não fique bom, vai dar um bom público e eles vão garantir seus trocados.

American Reunion: Uma das várias continuações de uma franquia de sucesso.

E infelizmente isso afeta a comédia também, hoje podemos assistir vários filmes e poderemos ver que todos tem a mesma essência e falta de originalidade, está cada vez mais difícil assistir a um filme de comédia sem situações forçadas, que tentam arrancar a risada do público forçadamente e em momento algum o fazem de forma inteligente e natural.

Claro que nos últimos anos tivemos algumas exceções, filmes que se destacaram merecidamente, como o primeiro Se beber não Case (The Hangover). Mas as melhores comédias que eu assisti nos últimos anos foram filmes de outros países, filmes que têm o orçamento bem menor do que os filmes americanos, logo acabam tendo maior liberdade. Desses filmes, destaco positivamente 3 Idiots (Índia), O fabuloso destino de Amelie Poulain (Le fabuleux destin d'Amélie Poulain, França) e Minha Mãe é uma Peça (Brasil, sim, um filme nacional).

Minha mãe é uma peça: Uma ótima comédia nacional
Antigamente todo ano podíamos contar com várias comédias americanas que eram no mínimo boas, mas hoje vemos várias comédias que beiram o razoável. Olhando pelo fato de que a maioria das comédias recentes que realmente me fizeram rir de uma maneira bem natural são estrangeiras, a minha recomendação é a de que olhemos com mais carinho para as obras cômicas de outros países, pois não parece que teremos uma melhora significativa nos filmes de comédia americano nos próximos anos.

E aí, concordam, discordam, querem me matar? Diga o que achou da matéria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário