Cultura Nerd Explica: Preconceito


A ideia desta série é usar histórias da cultura nerd, que todo mundo conhece, para explicar assuntos um pouco mais complicados do que parece, além de “cabeludos” e “polêmicos” (não, não vamos falar de mamilos).

Para nosso primeiro cultura nerd explica, decidimos falar de preconceito, discriminação e todas estas coisas horríveis. Nada melhor do que X-Men para explicar preconceito, certo?

Vamos nessa então, mantenha sua mente aberta e perceba como você pode, sem perceber, estar agindo como os vilões que tanto detesta.

X-men e o preconceito: Porque mutante bom é mutante morto

Em todas as encarnações possíveis e imagináveis dos X-men, dos quadrinhos, animação dos anos 90, filmes, animação nova (X-men evolution, eu gosto muito, me julguem), filmes paralelos, o tema preconceito e discriminação contra os mutantes é presente, sendo o motivo principal para que eles se escondam da sociedade.

O problema é que nem todos podem se esconder. Dois excelentes exemplos disso são Fera e noturno. Em suas formas mais consagradas, eles eram monstros aos olhos das pessoas, e não tinham como se esconder.

Fera: não pode esconder sua aparência mutante.

Bem, a não tanto tempo assim, os negros passaram por dificuldades parecidas, tanto no Brasil quanto em outros países. Eles também não podiam esconder que eram negros, nem deveriam. Ser negro, assim como ser azul e teleportar, no caso do noturno, é natural e motivo de orgulho.

Ocorre que temos os “Senador Kelly” na nossa sociedade. Pessoas que nascem com poder e estão acostumadas com os outros sendo subjugados, nem sabem por que. Muitas dela têm interesses nisso, outras são apenas incapazes de entender que os “mutantes” também são pessoas.

Por isso, o recomendável é: antes de apontar o dedo e acusar um grupo social partido político ou o que for de qualquer coisa, vale à pena analisar a situação toda, para que não criemos Sentinelas em nossa sociedade.

A prerrogativa Magneto


Outro lado da questão dos preconceitos é aquilo que eu chamo de “Prerrogativa Magneto”. O personagem usa os abusos sofridos durante uma série de incidentes infelizes da sua vida (que incluíram um campo de concentração nazista) para justificar uma série de atentados contra os não mutantes.

Historicamente, a dicotomia Professor Xavier X Magneto pode ser comparada com a dicotomia Martin Luther King X Malcolm X, que lutavam contra o preconceito racial nos Estados Unidos. Da mesma forma, uma série de grupos e ideologias deseja que suas demandas sejam cumpridas por meio de violência, de grupos terroristas a grupos pró militarismo, passando por milícias religiosas e grupos sociais extremados.

Do que eu me lembre, eu não me lembro de Magneto ter conseguido realmente paz ou justiça para os mutantes por meios violentos, sendo que sua única opção foi construir vários tipos de “guetos mutantes” (a palavra gueto não significa periferia, e sim um bairro /cidade onde todos, ou pelo menos a maioria, são de determinado grupo etno-cultural).

Moral da história: não é com mais violência que se para violência, não sem causar uma guerra.

Concorda? Discorda? Sem corda? Posta sua opinião aí embaixo, e daremos mais opiniões como essas!

Confiram o novo trabalho de Jordan Florio de Oliveira no Wattpad clicando aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário