Birdman: Um filme fora do comum


Se você é o tipo de pessoa que gosta de filmes óbvios, que dizem tudo de uma vez e são previsíveis, esqueça Birdman.

Este filme é, sem dúvida, algo que podemos chamar de “fora da casinha”, já começando pela fotografia e o posicionamento de câmera, que faz dele um filme extremamente imersivo e interessante, como se a história toda fosse contada sem cortes, com momentos artísticos e profundos, mas extremamente significativos.

Os atores estão simplesmente perfeitos, pois além de seus personagens, eles representam facetas de nossa realidade, como se infinitas histórias fossem contadas dentro do filme e cada fala abrisse para uma discussão que duraria uma noite inteira, em uma mesa de bar.

Como já deu para perceber, não é um filme simples, e eu, como só o vi uma vez até o momento, não me julgo capaz de descrever todas as suas nuances, mas com certeza sou capaz de dizer: ele é um tapa na cara em toda a indústria do entretenimento, da mídia à imprensa, passando pelo nosso comportamento online, que lembra mais um bando de aves carniceiras do que de pessoas em busca de informação de verdade.

A Inesperada virtude da ignorância



Um subtítulo misterioso e fascinante, que fala muito sobre um personagem, apesar de mal aparecer : o público.

O público, em Birdman, é similar a deus, praticamente não aparece, mas tudo gira ao redor dele. Todos os personagens estão, em praticamente todas as cenas e em todas as suas ações, tentando compreender e satisfazer essa massa informe e onipotente chamada opinião pública e, da forma muito similar a Kratos, na franquia God of War, o protagonista Riggan Thompson (interpretado por Michael Keaton ), foi aclamado como campeão deste deus e então abandonado, quando não era mais interessante.

Ao contrário de Kratos, porém, ele se sacrifica novamente e busca a conciliação com este deus, que ele não mais entende, pois o público está no twitter e ele é um analfabeto digital.

Ao contrário de algumas críticas que li, não acho o filme pomposo ou opressivo e sim uma crítica pertinente às realidades que estão por aí a muito tempo, temas espinhosos que nem todos tem coragem de tocar e nem competência de fazê-lo de forma tão surreal, mas acessível. Afinal, nem todo mundo estuda a história das mídias ou sabe quem é Andy Warhol.

Um comentário:

  1. Birdman é um dos meus filmes favoritos para ganhar o oscar. Acho que a história, a direção, a fotografia, tudo foi usado de maneira tão inteligente que seria injusto ele não ser o vencedor. Vi só uma vez, como vc, mas acho que Birdman é um filme para ver e rever muitas vezes que vc sempre irá encontrar algo novo ali.

    Rota 6

    ResponderExcluir